Anipla destaca impacto da proibição do uso de produtos fitofarmacêuticos na FNA

Anipla destaca impacto da proibição do uso de produtos fitofarmacêuticos na FNA

A Anipla e a ECPA, respetivamente, as associações nacional e europeia da indústria para a proteção das plantas, participam este ano na 54ª edição da Feira Nacional da Agricultura )FNA), que acontece entre os próximos dias 10 e 18 de junho e que tem como mote os “Cereais de Portugal”. As duas associações irão abordar o tema do impacto económico e social da inibição da aplicação de algumas substâncias activas na protecção da agricultura.

A Anipla distribuirá, entre os visitantes, informação sobre a campanha que está a promover a nível nacional – “Considere os Factos” . Com a informação será ainda entregue uma peça de fruta em que lhe falta uma parte, que representa a quantidade da produção deste fruto que estará em risco caso não sejam consideradas soluções sustentáveis para a protecção da produção face a doenças, infestantes e pragas.

A campanha da Anipla, “Considere os Factos”, conta com o apoio de diversas entidades e produtores e está a decorrer em diversas plataformas, online e offline, propondo uma reflexão pública entre o setor agrícola e toda a sociedade civil, procurando responder às preocupações e mal-entendidos sobre o papel da ciência na produção agrícola e promovendo um diálogo aberto sobre o assunto.

Por seu lado, a ECPA será representada pelo diretor de Public Affairs, Graeme Taylor, que é convidado pela Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) para falar sobre o impacto nos países do sul da Europa, com a proibição do uso de produtos fitofarmacêuticos. O convite surge no âmbito da Conferência Internacional, “Agricultura Mediterrânica na PAC Pós 2020”, que a CAP promove no dia 12 de junho, a partir das 10h, no grande auditório do CNEMA.

A ECPA é responsável pela campanha “With or Without” que, desde 2016, tem vindo a dinamizar ações de grande impacto junto dos consumidores e do poder político europeu, com o objetivo de trazer mais ciência e dados factuais para as decisões tomadas em torno da agricultura.

Para Graeme Taylor, “como indústria, pode-se argumentar que passamos tanto tempo a defendermo-nos de ataques, ou defendendo produtos individuais, que nos esquecemos de contar a história do papel que os produtos químicos e os fitofarmacêuticos desempenham na produção de alimentos e, em seguida, os benefícios que eles trazem para a sociedade. Esta campanha visa preencher essa lacuna”.

Para António Lopes Dias, diretor executivo da Anipla, “os consumidores portugueses são muito sensíveis aos temas da agricultura, porque é uma actividade secular muito enraizada nas nossas tradições. Mas será que conhecem verdadeiramente a realidade da produção nacional e a pesada derrota que culturas como a vinha ou a pera Rocha poderão sofrer se continuarmos a aplicar políticas de extinção das ferramentas de protecção da agricultura? Esta acção vai testar este conhecimento e não vai deixar ninguém indiferente.”