Ecoinside estreia fundo de 15 milhões de euros para investir em projetos de energias renováveis

Ecoinside estreia fundo de 15 milhões de euros para investir em projetos de energias renováveis

Categoria Advisor, Empresas

A Ecoinside estreou um fundo de investimento, de capitais próprios no valor de 15 milhões de euros, destinado a apoiar as empresas portuguesas na transição energética e na redução de consumo de energia elétrica. De acordo com a empresa, o investimento foi feito na instalação de mais de 1100 metros quadrados de painéis fotovoltaicos, o equivalente à área de uma piscina olímpica, na empresa Telbac, em Amarante.

A empreitada é o primeiro projeto a usufruir do fundo da Ecoinside que, durante um período de dez anos, será a detentora da Unidade de Produção para Autoconsumo (UPAC) e estará responsável pela operação e manutenção dos equipamentos instalados. A empresa do setor dos congelados Telbac vai beneficiar da partilha da poupança gerada pela central que se vai traduzir em cerca de 3 mil euros mensais, refere a Ecoinside em comunicado.

Segundo a empresa, a central fotovoltaica instalada será responsável pela produção de quase 32% das necessidades energéticas da Telbac e vai evitar que mais de 51 toneladas de CO2 sejam lançadas, todos os anos, para a atmosfera, tendo um impacto equivalente ao da plantação de cerca de 780 árvores.

O fundo agora inaugurado permite que as empresas alberguem centrais fotovoltaicas que produzem eletricidade a partir de energia solar, nas suas instalações, para aí ser consumida. Conseguem-se, assim, poupanças imediatas interessantes, adaptadas às necessidades energéticas de cada indústria.

“Este é o primeiro de muitos projetos que pretendemos desenvolver na área da produção energética sustentável, recorrendo ao fundo que criámos para todas as Pequenas e Médias Empresas (PME) que se pretendam juntar a nós na construção de um futuro mais verde e economicamente mais viável. É um passo que fará, certamente, a diferença e que ajudará Portugal a fazer a sua parte rumo à descarbonização da indústria e da economia”, afirma António Cunha Pereira, CEO da Ecoinside.

A Ecoinside tem já agendados 10 projetos que vão utilizar este fundo de investimento, ainda durante este ano, medida que pretende auxiliar as empresas portuguesas a cumprirem com as metas do Portugal 2030, que estabelecem que, já no início da próxima década, Portugal deve contar com 80% da sua energia a ser fornecida a partir de fontes renováveis e com uma redução de 50% das emissões de carbono.