APDA promove conferência sobre a Transição para a Economia Circular no Setor da Água: Desafios e Oportunidades

APDA promove conferência sobre a Transição para a Economia Circular no Setor da Água: Desafios e Oportunidades

Categoria Advisor, Agenda

A APDA – Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas realiza a Conferência “Transição para a Economia Circular no Setor da Água: Desafios e Oportunidades”, no dia 28 de fevereiro, no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto.

A Sessão de Abertura vai contar com as presenças do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, do Presidente da APDA e membro do Conselho de Governadores do World Water Council, Rui Godinho, bem como do Vice-Presidente da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo.

Aprovado o Plano de Ação para a Economia Circular em Portugal, em linha com as diretrizes internacionais (Convenção Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, Acordo de Paris e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), na ótica da melhoria da eficiência dos recursos, onde se inclui a água e o significativo incremento da respetiva reutilização e reciclagem, “é necessário compreender melhor quais as implicações desta resolução”, refere a Associação à imprensa.

Neste sentido, e com a presença de especialistas multidisciplinares de várias nacionalidades, vão ser abordadas as perspetivas, portuguesa e europeia, sobre as ações a empreender nesta transição do setor da água. Em particular destaque, e a nível nacional, vai estar a cidade do Porto e respetivo roadmap no ciclo urbano da água.

Os aspetos financeiros e de financiamento das atividades relacionadas com este novo paradigma, bem como o indispensável papel da inovação e da tecnologia neste setor, vão também ser alvo de atenção.

A Conferência vai igualmente apresentar exemplos de boas práticas, cobrindo diversos setores de atividade, e assinalar o lançamento de um Grupo de Trabalho da APDA, subordinado ao tema Economia Circular. É expectável que o mesmo evolua para Comissão Especializada, juntando-se, desta forma, às 11 já existentes e que trabalham em prol da gestão sustentável dos recursos hídricos, bem como dos serviços de água e saneamento.