Águas do Centro Litoral participa em projeto pioneiro em prol da economia circular no setor da água

Águas do Centro Litoral participa em projeto pioneiro em prol da economia circular no setor da água

Categoria Águas, Ambiente

A Águas do Centro Litoral (AdCL) participa, desde setembro de 2020, num projeto piloto, Life – ECOdigestion 2.0, que pretende “aumentar a autossuficiência energética das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) com energias renováveis, em prol da economia circular no setor da água”, pode ler-se num comunicado.

O desenvolvimento do projeto está a cargo do consórcio composto pela Global Omnium (Águas de Valencia), a Finnova (empresa belga) e a AdCL.

O projeto Life – ECOdigestion 2.0 visa a produção de energia verde, como o biogás, a partir da codigestão de lamas e novos substratos, como o efluente suinícola. Pretende-se, assim, com este projeto, “gerar uma ferramenta de controlo e gestão de digestão, com base nos resultados do projeto anterior de ECOdigestion Life (LIFE13 ENV / ES / 000377), que permita manter a estabilidade do digestor anaeróbio maximizando a produção de biogás, originando um aumento de produção de biogás para a mesma quantidade de substrato e de acordo com as necessidades da ETAR e um aumento de metano (CH4) no biogás”, refere o comunicado divulgado pela AdCL.

Desta forma, e após confirmação dos resultados obtidos e implementação da ferramenta, “evitarse-á a superprodução, que envolve a queima do biogás gerado, ou a subprodução, que leva ao consumo de energia de fontes não renováveis”, precisa o comunicado.

Este projeto pioneiro em Portugal iniciou na ETAR do Coimbrão, em Leiria, em setembro de 2020 e tem uma duração de 42 meses, e conta também com a participação de uma outra infraestrutura em Espanha. A equipa da AdCL, composta por trabalhadores do I&D (Investigação & Desenvolvimento), da Direção de Operação de Águas Residuais (DOAR), da Direção de Manutenção (DMAN) e do Laboratório, está a promover estes ensaios, que permitirá calibrar a ferramenta.

Após a conclusão do projeto Life – ECOdigestion 2.0, a aplicação desta nova tecnologia visa uma “melhoria no funcionamento das ETAR com digestores anaeróbios, uma vez que poderá reduzir os custos com o tratamento das águas residuais”. Além disso, “otimizará a produção de biogás de acordo com as necessidades em todos os momentos e ajudará a cumprir os regulamentos relativos à produção de energias renováveis, sobre a economia circular ou acordos internacionais sobre limites de emissão, como o Acordo de Paris”, destaca a empresa.

O Life – ECOdigestion 2.0 tem um custo de mais de 971 mil euros, cofinanciado em 55% pela União Europeia, no âmbito do programa LIFE, instrumento financeiro de apoio a projetos de preservação do ambiente e da natureza em toda a União Europeia.