Águas do Norte inaugura Estação Elevatória da Preguiça num investimento de 900 mil euros

Águas do Norte inaugura Estação Elevatória da Preguiça num investimento de 900 mil euros

Categoria Advisor, Empresas

Numa cerimónia presidida pelo ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e na qual estiveram presentes a presidente da Câmara Municipal de Mirandela, Júlia Maria Sequeira Rodrigues e o presidente do Conselho de Administração da Águas do Norte, José Luís Machado do Vale, foi inaugurada, este sábado, a Estação Elevatória da Preguiça, no Município de Mirandela.

Com um investimento de cerca de “900 mil euros”, esta instalação-chave entrou em serviço no passado dia 15 de setembro, devendo encaminhar todo o efluente produzido na cidade de Mirandela e zonas limítrofes, para tratamento posterior na ETAR de Mirandela, refere a Águas do Norte em comunicado. Segundo a empresa, esta infraestrutura foi dimensionada para “dar resposta a um equivalente populacional de cerca 26.500 habitantes-equivalentes”, ao qual corresponderá um “caudal médio de 5.422 m3/dia, no ano de horizonte de projeto”, e permitirá a “realização de um pré-tratamento aos respetivos efluentes”, nomeadamente a “separação de grande parte das areias, gradados e gorduras das águas residuais afluentes a esta infraestrutura”, o que “melhorará significativamente o processo de tratamento que é posteriormente realizado na ETAR de Mirandela”.

Esta infraestrutura está localizada no limite sul da área urbana da cidade de Mirandela, entre a linha férrea e a margem esquerda do rio Tua, estando integrada no subsistema de saneamento de águas residuais de Mirandela, o qual faz parte sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento gerido pela Águas do Norte.

A Águas do Norte, SA iniciou a atividade a 30 de junho de 2015 e, enquanto entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal, em “alta”, é responsável pela captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público e pela recolha, tratamento e rejeição de efluentes domésticos, urbanos e industriais. Assume ainda a exploração e gestão do sistema de águas da região do Noroeste, reunindo numa única entidade gestora, os serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais em “alta” (prestados aos Municípios) e em “baixa” (prestados aos utilizadores finais, os munícipes), de forma regular, contínua e eficiente.