ALS obtém acreditação para métodos de deteção e quantificação de SARS-CoV-2 em águas residuais

ALS obtém acreditação para métodos de deteção e quantificação de SARS-CoV-2 em águas residuais

Categoria Advisor, Empresas

A ALS Life Sciences Portugal obteve a acreditação ISO 17025 pelo IPAC (Instituto Português de Acreditação, I.P.) para os métodos de deteção e quantificação de SARS-CoV-2 em águas residuais. O laboratório com sede em Tondela é o “primeiro laboratório em Portugal” a obter esta acreditação, segundo um comunicado.

Os ensaios desenvolvidos pela ALS, agora acreditados, são realizados pelas técnicas de PCR em Tempo Real (RT-qPCR) para deteção do vírus, e por PCR digital (ddPCR) para quantificação absoluta da carga viral, permitindo a sua monitorização de forma precisa.

Daniela Silva, responsável pela equipa técnica que implementou estes sistemas de deteção e quantificação, salienta que “a vigilância sistemática de SARS-CoV-2 em águas residuais, permite implementar precocemente medidas para reduzir a transmissão na população e assim prevenir surtos posteriores, por exemplo junto empresas e zonas industriais, escolas e campus universitários, mas também por autarquias locais e entidades de gestão de águas residuais. Mais ainda, após a deteção de um surto permite avaliar a eficácia das medidas adotadas para travar a transmissão do vírus numa população”.

Em março, foi publicada a Recomendação (UE) 2021/472 da Comissão Europeia relativa à estratégia comum a adotar para vigilância sistemática da presença do vírus SARS-CoV-2 na população através da sua monitorização em águas residuais.