ASPEA e Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento assinam protocolo de colaboração

ASPEA e Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento assinam protocolo de colaboração

O protocolo de colaboração entre o Núcleo da ASPEA Aveiro e o Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento tem por objetivo o estabelecimento duma parceria com vista à dinamização, por parte da ASPEA, de atividades de Educação Ambiental nas Escolas do AEMS e na Quinta Ecológica da Moita – Escola da Floresta, suportado por um programa anual de atividades, a ser proposto por cada uma das partes e analisado conjuntamente, contemplando ações nos seguintes âmbitos:

– Atividades de apoio a trabalhos de investigação e divulgação por parte de alunos e professores, na Quinta Ecológica da Moita – Escola da Floresta;

– Colaboração do AEMS nos canais de comunicação da ASPEA, através da divulgação de projetos do Agrupamento e trabalhos de pesquisa interdisciplinares;

– Apoio no contexto de ações de intervenção social e cidadania ativa em contexto escolar, dinamizadas pelo projeto Escola Aberta, Sociedade Aberta em interação com Eco Escola e Educação para a Cidadania;

– Debates e palestras sobre temas no âmbito da Educação Ambiental;

– Oficinas de reutilização criativa “arte e ambiente” para alunos e professores;

– Aulas na Natureza;

– Enquadramento de estágios no contexto dos cursos profissionais;

– Formação de Professores.

Para a boa execução do plano de atividades a desenvolver no âmbito da parceria, ambas a entidades comprometem-se em colaborar, através da comunidade escolar (nomeadamente do Projeto “Escola Aberta, Sociedade Aberta”) na realização de propostas para o plano anual de atividades de Educação Ambiental, a serem realizadas nas escolas do agrupamento e Quinta Ecológica da Moita – Escola da Floresta; disponibilizar recursos humanos e materiais para ações previamente acordadas; promover a realização de ações de formação e encontros regionais e/ou nacionais de partilha e intercâmbio de experiências; procurar e promover candidaturas conjuntas a linhas de financiamento para as ações constantes no plano anual de atividades de Educação Ambiental ou outras ações de interesse comum; participar na avaliação interna anual das atividades desenvolvidas e divulgar nos seus meios de comunicação.

No âmbito do Projeto “Escola Aberta, Sociedade Aberta”, o Agrupamento de Escolas Dr. Mário  Sacramento integrará, como escola associada, o Projeto Europeu CareFOREST que permitirá desenvolver competências de literacia e de cidadania ambiental relativas à importância das florestas enquanto recurso de vida e bem-estar, contribuindo para a realização de trabalhos de investigações colaborativa e participativa, sobre os efeitos das atividades antropogénicas, com especial enfoque na ligação entre alterações climáticas e incêndios florestais.

Procurar-se-á melhorar o conhecimento sobre os impactes das atividades humanas nos ecossistemas, nomeadamente ao nível da gestão dos solos, ao mesmo tempo que se formam cidadãos cada vez mais atentos e ambientalmente comprometidos, dotando-os desde cedo de competências para as respostas que se afiguram cada vez mais necessárias a uma mudança de paradigma sobre os modeles de gestão e educação florestal.

Este protocolo irá permitir que alunos da Escola Secundária Dr. Mário Sacramento possam integrar, ainda este ano letivo, o grupo de parceiros observadores do projeto “Vamos Cuidar do Planeta” que tem como objetivo geral reforçar a cultura democrática e a consciência cívica de jovens em idade escolar, através da implementação da metodologia do projeto europeu “Let’s take care of the planet!” em Portugal, de uma forma estruturada e em rede. Este projeto surge de uma candidatura ao Programa Cidadãos Ativ@s, cofinanciado pelo Fundo EEAgrants e pretende:

– Fortalecer as capacidades de ação dos jovens aumentando as suas competências de liderança e comunicação;

– Influenciar as políticas públicas promovendo o envolvimento dos jovens nas decisões políticas;

– Reforçar a consciência cívica na população em geral na área da Educação Ambiental e da participação cívica, incentivando a adoção de práticas públicas e comportamentos pessoais convergentes com os ODS.