Cascais Smart Pole by Nova SBE: um projeto para a sustentabilidade e um futuro neutro em carbono

Cascais Smart Pole by Nova SBE: um projeto para a sustentabilidade e um futuro neutro em carbono

Categoria Advisor, Investigação

O projeto “Cascais Smart Pole by Nova SBE”, o primeiro laboratório vivo de descarbonização de Cascais, inaugura amanhã, dia 9 de setembro de 2021, às 18 horas, no Navigator Park na Nova SBE. Este será um espaço urbano de experimentação “living-lab”, em que a interação e participação de todos permitirá caminhar no sentido da neutralidade carbónica.

Será promovido num inédito consórcio liderado pela Fundação Alfredo de Sousa, juntamente com a Câmara Municipal de Cascais, a academia e e empresas de referência a nível nacional e internacional. Consiste assim num catalisador do desenvolvimento sustentável e do futuro neutro em carbono assente no empreendedorismo e na ação cívica.

Financiado pelo Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono” dos EEA Grants (no âmbito do concurso “Implementação de projetos piloto de laboratórios vivos de descarbonização e mitigação às alterações climáticas”), irá desenvolver um “living lab” inovador ao longo de 36 meses onde a economia circular, a biodiversidade, as energias renováveis, a mobilidade sustentável e a cultura local estão em comunhão e formam um polo centrado nas pessoas com vista a um futuro neutro em carbono e resiliente às alterações climáticas.

Ou seja, concretizar a ambição de atingir a neutralidade carbónica na área piloto na Quinta de São Gonçalo, Bairro da Torre e Campus da Nova SBE em Carcavelos, com o contributo de todos os stakeholders.

Neste sentido, o objetivo último deste laboratório é analisar e atuar de forma a que todos os que dele fazem parte (residentes, turistas, alunos, e visitantes) reconheçam o impacto das suas ações. Para tal, é importante o envolvimento de todos os cidadãos e partes interessadas na tomada de decisão e na implementação de projetos piloto, que resultarão na redução da pegada de carbono individual e da comunidade, quer através da mudança de comportamentos, quer pela participação em soluções que direcionem a comunidade para a neutralidade carbónica.

Em detalhe, o Cascais Smart Pole será desenvolvido através de nove atividades principais interligadas entre si ao longo de 36 meses:

1 – Caminho para a Neutralidade Carbónica, através da análise dos padrões de emissões de GEE de todos os cidadãos e parceiros para se definir o mais eficiente roteiro para a neutralidade carbónica;

2 – Plataforma Smart Pole (2), que se assume como um instrumento nuclear do projeto, constituindo uma plataforma virtual que agrega e disponibiliza dados gerados e recolhidos no “living lab”, incentivando a participação de todos com a partilha de ideias para potenciar todas as soluções inovadoras na área piloto e no município como um todo;

3 – Comunidade Smart Pole (3) onde os munícipes serão desafiados a integrar uma das primeiras Comunidades de Energia baseada na energia solar do país;

4 – AYR que pretende incentivar os stakeholders da área do Living Lab a adotarem comportamentos de mobilidade sustentáveis;

5 – Eficiência Energética com o objetivo de otimizar o consumo de energia dos sistemas de iluminação e de climatização, com base na monitorização em tempo real da ocupação dos espaços interiores, mapeando a presença dos ocupantes às diferentes zonas da rede de wi-fi, e também da Qualidade do Ar Interior;

6 – Economia circular nos resíduos uma solução associada à gestão sustentável de resíduos, através da implementação de um sistema “poluidor pagador” (ou “Pay as You Throw”) baseado em gamification que incorpora os diversos fluxos de resíduos domésticos e que é acompanhada por um novo esquema otimizado de recolha porta-a-porta de Óleos Alimentares Usados (OAU) para produzir biodiesel utilizado na recolha de resíduos em Cascais;

7 – Green Living que prevê a integração dos espaços verdes numa abordagem para promover medidas de adaptação às alterações climáticas em áreas urbanas (reduzir consumo de água e promover a biodiversidade autóctone);

8 – Smart Pole Market, um mecanismo de geração e troca de créditos de carbono que pretende responsabilizar os cidadãos e parceiros pelas suas emissões de CO2 ou compensá-los pelas emissões evitadas resultantes de comportamentos sustentáveis;

9 – Cascais Smart Pole World que promove instalações artísticas e campanhas de sensibilização ao serviço da neutralidade carbónica.