CIN investe mais de 200 mil euros em nome da sustentabilidade energética

CIN investe mais de 200 mil euros em nome da sustentabilidade energética

Categoria Ambiente, Energia

A CIN anuncia investimento de mais de 200 mil euros na instalação de uma unidade de produção fotovoltaica em regime de auto consumo (UPAC).

Esta nova unidade, instalada no edifício principal do Centro de Distribuição da Maia, vai possibilitar que a CIN passe a “produzir diretamente parte da energia que consome na sua atividade industrial o que lhe permitirá uma autonomia global de cerca de 31% face ao consumo de energia total destas instalações, mantendo a sustentabilidade como missão transversal à marca”, refere em comunicado.

Comprometida com o futuro do meio ambiente e com o bem-estar dos seus colaboradores, clientes, fornecedores e comunidade, a CIN procura assim melhorar a sua eco-eficiência, ao focar-se numa política de gestão ambiental ativa. Com o objetivo de “minimizar o impacto ambiental da sua atividade industrial, este compromisso será materializado através desta unidade de produção fotovoltaica, que será responsável pela redução da emissão de 94,9 toneladas de CO2 por ano”, o equivalente à diminuição da exploração de 21 hectares de floresta e da retirada de 53 carros da estrada. A autonomia global conseguida para as operações na fábrica corresponderá à energia suficiente para abastecer 87 habitações domésticas.

Com mais de um século de história desde a sua fundação, a CIN procurou estar sempre na vanguarda da inovação e das mais avançadas soluções tecnológicas, estratégia que se foi consolidando ao longo dos anos com a colocação no mercado de produtos eco-eficientes e com garantida performance.

Para Fernando Pinheiro, diretor de projetos e engenharia da CIN, “a preocupação com a sustentabilidade é algo inerente à cultura da empresa”, daí que, a marca “quer estar alinhada a uma estratégia que permita disponibilizar os melhores produtos, diminuindo, simultaneamente o impacto ambiental da sua atividade”. O responsável disse ainda que “o investimento nesta nova unidade fotovoltaica permite a utilização de uma energia eco-eficiente e não põe em causa os níveis de produção habituais e necessários”. Ou seja, “estamos cada vez mais certos de que este é o caminho e que uma marca como a CIN acrescenta valor aos seus consumidores, sobretudo pelo facto de se centrar em políticas sustentáveis e responsáveis que reduzam a pegada ecológica”, remata.

A par do investimento em inovação, a CIN tem apoiado vários programas e acções que contribuem para a criação de valor e prosperidade socioeconómica da comunidade – projectos em escolas, hospitais, IPSS e outras instituições não só com a oferta de tintas ou a contribuição para a requalificação e decoração de espaços degradados, mas também criando ambientes mais coloridos e utilizadores mais felizes ou através de parcerias que visam a reabilitação das zonas urbanas e a valorização do espaço públicos.

Foto cedida pela CIN