Circuito de Manutenção de Marim ficou mais verde no Dia da Floresta Autóctone

Circuito de Manutenção de Marim ficou mais verde no Dia da Floresta Autóctone

Esta foi uma aula diferente, fora da escola, com muita alegria e respeito pelo meio ambiente. Mais medronheiros, alfarrobeiras e azinheiras povoam, desde sexta feira, o maior “pulmão verde” do concelho de Olhão. E foram preparados, plantados e regados pelos mais pequenos!

Em parceria com o Parque Natural da Ria Formosa e com o apoio da Junta de Freguesia de Quelfes, do Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens (RIAS) e do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a autarquia pretendeu, neste dia, alertar os alunos do concelho para a necessidade de plantar as árvores “naturais” da região e salvaguardá-las da destruição, criando um pulmão verde cada vez maior no concelho.

O vereador da Educação e do Ambiente, António Camacho, acompanhou a iniciativa e lembrou aos alunos do 2ºB 6 da Escola EB1/JI Nº6 a importância de se protegerem as árvores, que “são nossas amigas”. O autarca agradeceu aos pequenos ambientalistas “a colaboração na plantação de mais árvores autóctones no Circuito de Manutenção dos Pinheiros de Marim” e lembrou que “devemos fazer deste dia, um exemplo para todos os outros e, assim, ajudar a proteger o planeta”.

Ricardo Ceia, do RIAS, explicou as características de cada uma das árvores plantadas, que foram cedidas pelo ICNF e que os jardineiros da Junta de Freguesia de Quelfes ajudaram a deixar em segurança na terra.

Desta forma, o Município de Olhão pretendeu alertar para o facto de as árvores autóctones ajudarem a manter a fertilidade do espaço rural, o equilíbrio biológico da paisagem e a diversidade dos recursos genéticos, sendo importantes locais de refúgio e reprodução para um grande número de espécies animais autóctones (rola-turca, melros, poupas, gaios, mochos,…).