DECO desafia alunos a fazerem receitas de peixe originais e sustentáveis

DECO desafia alunos a fazerem receitas de peixe originais e sustentáveis

A DECOJovem, da associação de defesa do consumidor DECO, desafiou as escolas a ajudar os alunos a escolher de forma sustentável para a alimentação produtos do oceano, de modo a contribuir para a preservação dos recursos marinhos.

O concurso ‘Chef Fish’, lançado a marcar o Dia Mundial da Alimentação, que se assinala hoje, convida as escolas a refletir sobre a temática da alimentação com atividades de sensibilização e informação lúdico-pedagógicas. Na edição deste ano, todos os alunos, do 1.º ciclo do ensino básico ao ensino secundário e profissional, podem participar e elaborar receitas originais, explica em comunicado a DECO. Os alunos podem, assim, pedir a ajuda dos professores e constituir equipas para produzir vídeos com receitas culinárias de pescado. O objetivo é “sensibilizar a comunidade escolar e consequentemente as suas famílias, para a adoção de comportamentos mais sustentáveis, na escolha e consumo do pescado, em prol do respeito e preservação do oceano e dos seus recursos”, mas também para a alimentação saudável, realça a associação de defesa do consumidor. Os participantes podem utilizar vários elementos como material de apoio para compreender melhor a importância de escolher produtos do mar obtidos através de uma pesca sustentável, ou seja, que respeita os ecossistemas e os seus ritmos de reprodução, de modo a permitir a recuperação dos recursos.

Também estará disponível informação sobre a disponibilidade dos stocks marinhos, a melhor forma de escolher e conservar peixe, os novos rótulos relacionados com o processo sustentável ou com a origem.

O concurso vai, ainda, alertar para a importância do peixe numa alimentação saudável e equilibrada, nomeadamente através de pratos com alternativas diferentes, conjugando vários alimentos.

O projeto ‘Chef Fish’ é desenvolvido pela DECO e cofinanciado a 85% pelo EEA Grants, uma iniciativa que junta a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega no contributo para a redução das disparidades sociais e económicas entre países europeus.