Desafios da Mobilidade Elétrica discutidos em Coimbra

Desafios da Mobilidade Elétrica discutidos em Coimbra

Categoria Advisor, Agenda

Os grandes desafios da mobilidade elétrica, desde a regulação até ao impacto dos carregamentos na rede de energia elétrica, vão ser discutidos, em Coimbra, no próximo dia 27 de fevereiro, durante o seminário luso-brasileiro “Mobilidade Elétrica”, que terá lugar na Ordem dos Engenheiros (Rua Antero de Quental, 107).

Com organização conjunta do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (INESC Coimbra) – Universidade de Coimbra e Grupo de Estudos do Setor Elétrico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (GESEL), a iniciativa conta com a participação de representantes dos principais atores do setor, incluindo reguladores (ERSE e ANEEL), Associação Portuguesa do Veículo Elétrico, MOBI.E, Efacec Energia, Efacec Electric Mobility, EDP Comercial, SMTUC e Critical TechWorks.

Pretende-se discutir a mobilidade elétrica sob “diversas perspetivas, apresentar visões, experiências e desafios da promoção da mobilidade elétrica em Portugal e no Brasil”, refere Carlos Henggeler, docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e investigador do INESC Coimbra.

Segundo o cientista, um dos grandes desafios que a transição para a mobilidade elétrica coloca, do ponto de vista técnico, prende-se com “o impacto que a expansão dos postos de carregamento rápidos e ultra rápidos vai ter nas redes de energia elétrica. Vai ser necessária uma grande evolução na capacidade da rede de distribuição”.

“Chamada estratégica mobilidade elétrica: modelos de negócio”, “Descarbonização e a perspetiva dos utilizadores”, “O cliente da mobilidade elétrica” e “Perspetiva da Efacec para gestão de carregamento inteligente e de ativos de armazenamento de energia” são alguns dos temas que vão estar em debate ao longo do dia.

Este seminário insere-se no programa de parceria académica entre o INESC Coimbra e o GESEL e tem o apoio da Iniciativa Energia para Sustentabilidade da Universidade de Coimbra e da Ordem dos Engenheiros. A entrada é livre.