Diminuição de 3,5% na eletricidade beneficiará “todos os consumidores”

Diminuição de 3,5% na eletricidade beneficiará “todos os consumidores”

Categoria Ambiente, Energia

Pedro Geraldes Martins Verdelho, indigitado para vogal do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), indicou, na Assembleia da República, que a anunciada diminuição de 3,5% do preço da eletricidade beneficiará “todos os consumidores”.

De acordo com a Lusa, o engenheiro disse que “os mesmos 3,5% que foram comunicados na tarifa de venda a clientes finais regulada, para o mercado regulado, são o resultado de uma redução das tarifas de acessos às redes, que têm um peso significativo nas faturas dos consumidores domésticos na ordem dos 60-65%. E essa tarifa reduz-se em 17%”.

Segundo Verdelho, a tarifa de acesso às redes é “repassada para os consumidores”, pelo que a redução de 17% “vem beneficiar todos os consumidores, independentemente do seu fornecedor”.

O responsável notou que, se houvesse a “manutenção dos custos de energia ao nível dos mercados grossistas”, haveria uma “redução muito mais substancial das tarifas finais”.

Mas, essa subida “é mais do que compensada com a tarifa de acesso às redes, por isso, globalmente, os preços finais descem 3,5%” para o mercado regulado.

O responsável referiu que, apesar da “incidência num conjunto cada vez menor de consumidores”, a tarifa regulada traduz, com base na informação atual, o que se espera que aconteça no próximo ano.

Na segunda-feira, a ERSE anunciou que as tarifas de eletricidade no mercado regulado vão descer 3,5% para os consumidores domésticos a partir de 01 de janeiro.

Os preços da eletricidade para as famílias que ainda estão em mercado regulado descem assim pelo segundo ano consecutivo, depois de a ERSE ter revisto a proposta feita em outubro, que previa uma subida das tarifas de 0,1%.

Esta redução de 3,5% representa uma diminuição de 1,58 euros para uma fatura mensal de 45,1 euros, de acordo com as contas divulgadas pelo regulador.

Nas regiões autónomas dos Açores e Madeira a redução é de 0,6%, segundo a mesma entidade.

A ERSE informa ainda que “os consumidores com tarifa social beneficiarão de um desconto de 33,8% sobre as tarifas de venda a clientes finais, de acordo com o estabelecido por despacho do membro do Governo responsável pela área da energia”.

Já para os consumidores que tenham tarifas sociais de venda a clientes finais, “prevê-se uma redução na fatura média mensal de eletricidade de 13,67 euros”, tendo em conta uma fatura média mensal de 26,8 euros, “valor que já integra a aplicação de um desconto social mensal de 13,67 euros”, detalha o regulador.

No final de novembro, o gabinete do ministro do Ambiente e da Transição Energética anunciava a escolha de Pedro Geraldes Martins Verdelho. Esta seleção aconteceu depois de o deputado socialista Carlos Pereira ter renunciado à nomeação.