EDP Renováveis vende participação em projeto eólico em Espanha à Finerge

EDP Renováveis vende participação em projeto eólico em Espanha à Finerge

Categoria Ambiente, Energia

A EDP Renováveis chegou a acordo para a venda da totalidade da sua participação acionista e empréstimos de um portfólio eólico onshore operacional, em Espanha, ao grupo Finerge por 426 milhões de euros, segundo um comunicado.

“A EDP Renováveis, S.A. (“EDPR”) alcançou um acordo de compra e venda com o grupo Finerge, uma das maiores produtoras de energias renováveis em Portugal, para a venda da totalidade da sua participação acionista e empréstimos acionistas de um portfólio eólico ‘onshore’ operacional com 242 MW [megawatts] de capacidade instalada, por um valor total de aproximadamente 426 milhões de euros (sujeito às condições habituais de conclusão destas operações)”, lê-se no comunicado divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Esta operação abrange sete parques eólicos em operação em Espanha, nomeadamente, nas regiões de Ávila e Catalunha, sendo que a totalidade do portfólio “apresenta uma vida média em operação de nove anos”.

De acordo com a informação enviada à CMVM, o valor de mercado da transação está situado em 507 milhões de euros.

A conclusão desta operação está prevista para o quarto trimestre deste ano.

A empresa agora liderada por Rui Teixeira revelou também que, com esta transação, já executou mais de 40% do objetivo de quatro mil milhões de euros de rotação de ativos para o período 2019-2022. “Este acordo é um grande marco para nós, pois não só mostra que somos capazes de gerar valor através do desenvolvimento e gestão de projetos, mas também que o mercado reconhece a qualidade dos nossos ativos”, afirmou Rui Teixeira, numa nota enviada às redações.

O presidente executivo interino da EDP Renováveis notou ainda que esta operação permite dar continuidade ao plano de negócios, graças à estratégia de rotação de ativos que permite rentabilizar os parques da empresa “antes de chegarem ao fim da sua vida útil, sempre com o objetivo de acelerar o investimento e, por isso, o crescimento”.