EPAL – Programa incentiva consumo de água da torneira nas entidades públicas e privadas

EPAL – Programa incentiva consumo de água da torneira nas entidades públicas e privadas

Categoria Águas, Ambiente

A EPAL fornece água de excelente qualidade diretamente a Lisboa e 34 municípios a Norte do Rio Tejo, abastecendo 1/3 do país. A água alcança níveis de excelência, sendo um dos produtos mais controlados, sujeito a mais de mil análises laboratoriais por dia, realizadas por técnicos qualificados e tecnologia avançada, cumprindo os requisitos legais nacionais e europeus.

Na capital, a empresa tem consolidado uma abordagem à comunidade pautada por valores de responsabilidade ambiental e social, impulsionando a mudança para comportamentos com um impacto decisivo na diminuição da pegada ambiental, liderando um programa de incentivo ao consumo de água da torneira que é um valioso contributo para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Marcos Sá, diretor de Comunicação e Educação Ambiental, e Celeste Anselmo, responsável de Educação Ambiental da EPAL, marcam presença na cerimónia simbólica de adesão ao consumo de água da torneira da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa.

O programa “Exclusivamente, Água da Torneira”, que conta já com mais de duas centenas de aderentes, tem como públicos-alvo o Estado e entidades oficiais, Empresas, Hotelaria e Restauração, Centros de Congressos, Universidades, Escolas, entre outras entidades com reconhecida capacidade de influenciarem e servirem de exemplo, incentivando um movimento incessante em prol da sustentabilidade. O objetivo é lançar-lhes o desafio de assumirem o compromisso do consumo exclusivo de água da torneira para o que a EPAL disponibiliza os seus jarros e garrafas, bem como suportes comunicacionais.

Em curso desde 2012, o programa, que serviu de inspiração a outras entidades gestoras nacionais e internacionais, tem ganho cada vez mais relevância, encontrando-se em sintonia com as orientações da Diretiva Água e da Resolução do Conselho de Ministros 141/2018, materializando a eficiência de recursos, fulcral para uma economia de baixo carbono.

O programa de incentivo ao consumo de água da torneira compreende duas abordagens distintas. Na primeira, dirigida às Entidades do Estado e Empresas, são disponibilizados jarros de vidro para as áreas comuns – Salas de Reuniões, Coffee Break e Cantinas. Entre as muitas entidades que já aceitaram o desafio contam-se, por exemplo, a Presidência da República, a Presidência do Conselho de Ministros, diversos ministérios, a Câmara Municipal de Lisboa, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, várias unidades hospitalares, Serviços Sociais da Administração Pública, entre muitas outras, (lista completa em epal.pt). O programa abrange também órgãos de comunicação social como a RTP e o Grupo Renascença Multimédia. A Caixa Geral de Depósitos e o Turismo de Portugal são outras entidades que afirmaram o seu compromisso com o consumo de água da rede pública como opção mais sustentável.

Na segunda abordagem, focada nos Centros de Congressos, Hotéis e Universidades, a EPAL disponibiliza a garrafa Lisbon Tap Water que permite a estas entidades oferecer aos seus clientes de eventos, nacionais e estrangeiros, água da torneira, promovendo a excelência da qualidade da nossa água tanto no país como além-fronteiras. Entre os aderentes destacam-se o CCB, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação Champalimaud, inúmeras universidades como a Nova Medical School, o ISEG, o ISEL, a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, a Faculdade de Direito, o Instituto Superior de Agronomia, e também hotéis focados na responsabilidade ambiental, como o Neya Lisboa Hotel.

Dado o impacto que esta inicitiva tem na transição exemplar para o consumo sustentável a EPAL apresentou recentemente a sua candidatura aos prémios “SDG Action Awards” da iniciativa das Nações Unidas, na categoria “Connect”, a qual procura reconhecer parcerias para aumentar o progresso dos objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS).

No seu todo, o programa pretende afirmar-se como um movimento em prol da sustentabilidade,
sendo um caso exemplar de sucesso na disseminação da excelência da qualidade da água, na valorização das infraestruturas públicas e de consciencialização para estilos de vida que contribuam para a redução dos gases com efeitos de estufa (GEE), na qual todos devemos ser intervenientes ativos rumo à neutralidade carbónica de 2050.

Na foto principal: José Sardinha, presidente da EPAL na Cerimónia simbólica de adesão ao consumo de água da torneira da Agência Portuguesa do Ambiente.

Esta entrevista foi publicada na edição 85 da Ambiente Magazine.