“Eu e o meu pai colecionamos isqueiros apanhados na areia”

“Eu e o meu pai colecionamos isqueiros apanhados na areia”

Já começou o projeto Lisbon Week, um projeto educativo que vai decorrer em 12 escolas do Lumiar, que tem como objetivo sensibilizar para o lixo nas praias, começando pelos mais novos, mas com o intuito de chegar também às suas famílias, segundo noticia hoje o jornal i. Na iniciativa, os alunos vão aprender a transformar o lixo, em arte.

“Quem é que já esteve em praias sujas?”, foi a pergunta efetuada em que se confirmou o que já se esperava: quase metade das duas turmas levantaram os braços, no evento que decorreu no primeiro andar da Escola Alemã, em Lisboa.

“Eu já vi palhinhas e cigarros”, ouve-se de um outro lado da sala, sobreposto por uma voz que se quer fazer ouvir: “e eu garrafas de vidro, uma vez a minha mãe quase que se cortava no pé”. Mas foi André que deixou Jéssica Melo, a técnica do Oceanário escolhida para a missão, de boca aberta. “Eu e o meu pai colecionamos isqueiros apanhados na praia, já temos uma taça assim cheia”.

A responsável aproveitou o contributo para organizar uma das áreas mais preocupantes do ambiente em Portugal. “Qual é o lixo mais comum nas praias”, questionou, explicando posteriormente que o que mais se encontra são as beatas, cotonetes e embalagens de comida, esclarecendo que até os filtros dos cigarros são feitos de plástico.

São lançados, todos os anos, oito milhões de toneladas de plástico aos oceanos. É com estas frases que a atenção dos mais de 30 alunos não se desviava do ecrã, que vai mostrando a realidade em imagens de tubarões presos em rede ou de peixes a boiar junto à costa. A técnica explicou, deste modo, quais os perigos que a poluição no mar tem para a biodiversidade e para o futuro das espécies marinhas.

O projeto assenta na base de passar a palavra, aproveitando o facto de o Lumiar ser a freguesia com mais escolas de Lisboa para através dos alunos, chegar às famílias. “O importante é mudar comportamentos e isso pode começar por aqui”, disse Ana Salcedo, ativista e coordenadora do projeto educativo.