GEOTA defende que Segunda Circular não deve avançar

GEOTA defende que Segunda Circular não deve avançar

O Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) defendeu ontem que o projeto da Câmara de Lisboa para a Segunda Circular não deve avançar, por provocar “demasiadas dúvidas” em questões urbanísticas e de mobilidade, indica o Diário de Notícias de hoje.
Em comunicado, a associação ambientalista considera “que há demasiadas dúvidas para se avançar com um projeto que representa um custo superior a 1% do orçamento anual” da autarquia lisboeta, que era de 757,7 milhões de euros quando foi aprovado.
“Apesar de o projeto cumprir alguns dos objetivos previstos no PDM de Lisboa, tem também consequências contrárias ou desalinhadas com outros objetivos do PDM, tais como a promoção do transporte coletivo”, frisa o grupo.