GEOTA promove saídas de campo diárias e noturnas destinadas aos entusiastas das borboletas

GEOTA promove saídas de campo diárias e noturnas destinadas aos entusiastas das borboletas

Categoria Agenda, Iniciativas

O Centro Ecológico Educativo do Paul de Tornada, equipamento de educação ambiental, co-gerido pelo Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, GEOTA, está a organizar saídas de campo diárias e noturnas destinadas aos entusiastas das borboletas. As atividades, que serão dinamizadas por Helder Cardoso, coordenador do Projeto Rede de Estações de Borboletas Noturnas, Ornitólogo e Guia de Natureza, irão decorrer dia 17 e 18 de junho, bem como dia 16 de julho.

As ações de observação de borboletas noturnas, a acontecer nos dias 17 de junho e 16 de julho, na Reserva Natural Local do Paul de Tornada, têm hora de início marcada para as 20h30, com fim às 23h00. Já as ações destinadas às borboletas diurnas vão ter lugar nos dias 18 de junho e 16 de julho, das 10h30 às 12h30.

Organizadas pelo GEOTA, Associação PATO, e por Helder Cardoso, e contando com o apoio dos parceiros Câmara Municipal das Caldas da Rainha, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, o Geoparque Oeste e a União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, Esta iniciativa, que conta com o apoio dos parceiros Câmara Municipal das Caldas da Rainha, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, o Geoparque Oeste e a União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, é aberta às famílias, sendo que os participantes devem levar roupa e calçado confortável, binóculos ou máquina fotográfica e muita vontade em aprender mais sobre estes seres polinizadores que, além de potenciarem a multiplicação de plantas, são indicadores da qualidade do ambiente.

Para quem quer descobrir mais sobre morcegos, o CEEPT preparou também uma atividade. No dia 17 de junho, das 20h30 às 21h30, será possível observar estes animais com a ajuda de Pedro Alves, mediante inscrição prévia.

A Reserva Natural Local do Paul de Tornada, localizada nas Caldas da Rainha, cobre uma área de aproximadamente 53 hectares, e protege desde a sua criação, em 2009, inúmeras espécies. É um local de passagem, onde aves migratórias nidificam, sendo fonte de alimentação e habitat de permanência de várias espécies de aves, mamíferos, répteis, peixes e anfíbios, muitas delas raras, ou vulneráveis.

As inscrições devem ser feitas até às 17h00 do dia útil anterior de cada atividade neste link.