HAAN promove reutilização das embalagens através de design apelativo

HAAN promove reutilização das embalagens através de design apelativo

Após vários anos a trabalhar como distribuidora de marcas de moda e acessórios, a HAAN, que nasceu em Barcelona, decidiu, em 2018, dar  um novo passo na sua atividade: “Decidimos empreender um novo projeto paralelo, mais próximo da forma como vemos a vida: uma marca que desde a sua origem tinha um claro compromisso social”, começa por explicar Eric Armengou, cofundador da HAAN.

Desde que foi tomada a decisão, iniciou-se um processo em busca de possíveis oportunidades de negócio, com a inovação a ser a palavra de ordem: “Ao mesmo tempo, queríamos uma marca que fosse capaz de cobrir uma necessidade latente no mercado e devolver o nosso grão de areia ao planeta”, declara. Foi então que, durante uma viagem aos Estados Unidos, a equipa HAAN descobriu a utilidade do higienizador de mãos: “Adorámos a ideia, mas não o produto em si. Sentimos que poderia ser melhorado em termos de apresentação e design”. Ao mesmo tempo, iniciou-se ainda um processo de investigação da indústria de cuidados pessoais: “Percebemos que o setor estava a ficar para trás, com um modus operandi demasiado convencional e vimos uma oportunidade onde podíamos inovar”.

Atualmente, a HAAN afirma-se com uma marca de cuidados pessoais que concentra a sua atividade na definição de um futuro melhor para o planeta e para a humanidade. São quatro os produtos que oferece ao mercado: “o higienizador de mãos, o creme de mãos, a pasta de dentes e o sabonete líquido de mãos. Todos com diferentes fragrâncias”. Para este primeiro trimestre de 2022, Eric Armengou revela que estão ainda previstos novos lançamentos na categoria Body Care: “Não podemos revelar quais são, mas em breve teremos novidades”. Algo que move a HAAN é, precisamente, “encontrar oportunidades que sejam úteis para o dia-a-dia dos consumidores, com produtos diferenciadores e cujas fragâncias agradem” a qualquer um: “Sempre sob os valores de serem produtos com ingredientes naturais, recarregáveis e com embalagens o mais sustentável possível”, precisa.

Presentes em 46 países, a HAAN integra uma estratégia de marketing e comunicação, ligando todos os canais para que os objetivos e valores sejam mantidos, independentemente da localização: “Também confiamos fortemente nos embaixadores e influenciadores da marca para serem os nossos representantes na comunicação do nosso produto e dos seus benefícios”. Acresce que a HAAN dispõe, pelos vários países, uma rede parceiros que distribuem os produtos em farmácias, lojas de beleza, de moda, parafarmácias e grandes superfícies. Em Portugal, apesar da exclusividade da distribuição pertencer à Hasse Healthcare, os portugueses podem também  encontrar os produtos em inúmeras farmácias: “A nossa relação com todos eles é muito estreita e estamos em contacto diariamente para compreender as suas necessidades”.

Reutilizar embalagens em vez de as deitar fora

Questionada sobre a política ambiental da marca, Eric Armengou assegura que a sustentabilidade é um ponto chave em todos os lançamentos: “Todos os nossos produtos de cuidados pessoais apresentam uma fórmula “limpa”, com pelo menos 90% de ingredientes de origem natural, em embalagens de alta qualidade, recicláveis e reutilizáveis, graças à recente introdução dos nossos refils”. Estas embalagens, precisa o cofundador, permitem “encher o produto até três vezes (duas no caso do sabonete líquido de mãos)” e, consequentemente, “reduzir 89% do plástico, água e emissões de CO2”. O objetivo da marca é lançar no mercado produtos com um “design apelativo e de alta qualidade”, para que os clientes prefiram “reutilizar as suas embalagens em vez de as deitar fora e comprar uma nova”, refere, acreditando que, assim, é possível à marcar afastar-se da “atual cultura descartável” e começar a comprar produtos para usar uma vida toda: “No caso do nosso creme para as mãos e pasta de dentes, isto torna-se ainda mais perturbador, por isso propomos aos nossos consumidores que demorem quatro minutos a limpar o interior e  exterior da embalagem e a reutilizá-la tantas vezes quantas quiserem”, exemplifica. Outro ponto onde a marca está a trabalhar arduamente é “assegurar que as embalagens sejam produzidas a partir de materiais reciclados”, a fim de reduzir o impacto sobre o ambiente: “De facto, o nosso último lançamento – um sabonete líquido para as mãos – é 100% reciclado e reciclável”.

Tão importante como o compromisso ambiental de uma marca, também a responsabilidade social deve ser parte central de uma marca: “Desde o início que doamos 20% dos lucros para criar poços de água potável em países em desenvolvimento, porque acreditamos que todos devem ter acesso a uma fonte de água potável e a higiene”. A título de exemplo, até à data, a HAAN já conseguiu criar “seis poços nas comunidades de Changoma, Mchenga, Thuwalugwa, Chamba Dzana, Tsawala e Ndodo, Malawi (África)”, dando “acesso a água potável e a higiene pessoal a mais de 2.100 pessoas”, afirma.

Qual é o desejo da HAAN para o médio e longo prazo?

“Para o futuro temos alguns objetivos: Posicionar a HAAN como uma marca líder nacional e internacional na indústria de cuidados pessoais; Diversificar a gama de produtos HAAN, através de novos lançamentos centrados no setor dos cuidados pessoais de luxo acessíveis; Expandir a marca para novos mercados internacionais; e Continuar com a nossa missão social: contribuir para a água potável nos países em desenvolvimento. através da criação de mais poços de água subterrâneos”.

Cristiana Macedo