IPS desafia habitantes a dar contributos para fazer de Setúbal uma região mais inteligente e sustentável

IPS desafia habitantes a dar contributos para fazer de Setúbal uma região mais inteligente e sustentável

Categoria Advisor, Formação

A Universidade Europeia E³UDRES², aliança da qual o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) faz parte em conjunto com outras cinco instituições de ensino superior, acaba de lançar um concurso de ideias que visa a participação de toda a região na construção da Universidade e da Região do Futuro.

Em comunicado, o IPS explica que a “call for ideas” prolonga-se até 15 de fevereiro e dirige-se a todos os habitantes e organizações de Setúbal, entre escolas, associações de moradores, empresas, indústrias e entidades prestadoras de cuidados de saúde, incluindo a própria comunidade académica do IPS, desafiando cada um a dar  o seu contributo para “delinear o que será a universidade ideal em 2030” e os “projetos conjuntos com os atores locais” que poderão fazer de Setúbal uma região “mais inteligente e sustentável”.

Com início oficial em outubro último, a  E³UDRES², sigla inglesa de Universidade Europeia Empreendedora e Envolvida como motor para Regiões Europeias Inteligentes e Sustentáveis, é um projeto financiado pela Comissão Europeia cujo foco é o desenvolvimento de uma nova Universidade com campi em seis países da Europa – Áustria, Bélgica, Hungria, Letónia, Roménia e Portugal – com o objetivo comum de criar centros de conhecimento que possam contribuir ativamente para tornar as respetivas regiões de influência mais inteligentes e sustentáveis.

Em Portugal, a E³UDRES² tem como parceiros locais a AISET (Associação da Indústria da Península de Setúbal), a Câmara Municipal de Setúbal e sociedade de capital de risco Portugal Ventures.

Sendo que a maioria da população europeia se concentra em cidades de pequena e média dimensão e áreas rurais circundantes, a missão do projeto E³UDRES² é, antes de mais, imprimir uma nova dinâmica no panorama do ensino superior europeu, abordando as regiões como “laboratórios vivos” onde se produzem soluções para problemas concretos e com verdadeiro impacto na sociedade e, simultaneamente, se formam jovens profissionais preparados para os desafios de um mundo em mudança.

Ao longo de três anos, o projeto ambiciona lançar as bases de um grande campus europeu feito da partilha de conhecimento, boas práticas, competências e recursos entre todos os envolvidos,  assegurando, no futuro, a continuidade deste novo paradigma, assente no alargamento da dimensão geográfica das atividades de ensino e investigação e no desenvolvimento de projetos em equipas internacionais, interdisciplinares e com a participação de elementos da sociedade civil e de outros atores regionais.

As propostas devem ser submetidas numa folha A4, em inglês, para os endereços: ideas@eudres.eu e cimob@ips.pt.