Lisboa já alcançou as suas metas para redução de CO2 mas quer mais

Lisboa já alcançou as suas metas para redução de CO2 mas quer mais

Categoria Ambiente, Energia

“Não estou contente porque quero mais”. Foi desta forma que o vereador da Estrutura Verde e Energia, José Sá Fernandes, reagiu aos resultados alcançados com as medidas de redução do consumo de energia em Lisboa, refere o Público. Tendo como ano de referência 2002, a cidade conseguiu reduzir 50% das emissões de dióxido de carbono, um gás com efeito de estufa. O objetivo era 20% para 2020. Para o autarca, a cidade pode ir mais longe e “não é por ilusionismo, é porque é possível”, afirmou ontem, durante a apresentação da matriz energética da capital.

No Pacto dos Autarcas, assinado por Lisboa em 2009, a cidade comprometia-se a reduzir, até 2020, 20% das suas emissões de CO2, através da redução do consumo de energias fósseis e do aumento da produção de energia renovável. Objetivo cumprido. Concretamente, no que diz respeito ao consumo de eletricidade, a redução acabou também por ser superior a meta prevista no Plano de Ação para pôr em prática o pacto. A cidade teria de consumir menos 780 quilotoneladas, entre 2002 e 2020, mas atingui as 864 kton entre 2002 e 2014.

Numa comparação nacional, Miguel Águas apontou que o consumo anual de energia per capita no concelho de Lisboa é menos 7% da média nacional. O diretor técnico-financeiro da Lisboa E-Nova, a agência municipal de energia e ambiente, salientou que os efeitos se fazem notar porque o número de habitantes de Lisboa é “significativamente inferior” ao número de pessoas que circulam durante o dia na cidade.

Quanto aos consumos das estruturas da própria autarquia, registou-se uma redução do consumo de eletricidade de 23% entre 2008 e 2015, havendo uma diminuição de 11% face ao consumo em 2014.

Os edifícios são outra prioridade na redução das emissões de CO2 no município. A aposta faz-se através da certificação energética.

Entre as medidas que estão a ser lançadas, o vereador salienta a iluminação pública, a converter para LED e que se acende apenas quando alguém passa, ou o investimento nas Smart Cities, que permitem detetar os maiores consumos na cidade. Também o aumento do número de veículos elétricos e com sistema inteligente de carregamento elétrico é outro objetivo.