Loulé desafia cidadãos a participarem na Semana Europeia da Mobilidade

Loulé desafia cidadãos a participarem na Semana Europeia da Mobilidade

A Câmara Municipal de Loulé volta a associar-se à Semana Europeia da Mobilidade, que decorre de 16 a 22 de setembro. Este ano, com o mote “Mobilidade Sustentável: em Segurança e com Saúde”, a tónica assenta na sensibilização da população para a importância em aliar os hábitos de vida saudáveis às suas deslocações diárias, tendo em vista a criação de cidades mais amigas do ambiente e mais resilientes aos efeitos das alterações climáticas.

O município reforça assim o desafio para que, nestes dias, os cidadãos realizem uma caminhada, um passeio de bicicleta ou outras atividades ao ar livre, e descubram os recantos mais bonitos do concelho, podendo ser este o primeiro passo para criar uma rotina diária nas suas deslocações, proporcionando uma melhoria na sua própria saúde mas também um contributo para alcançar a neutralidade carbónica até 2050.

Numa nota divulgada à imprensa, a autarquia lembra que a escolha do tema deste ano presta homenagem às dificuldades sentidas pela Europa – e pelo mundo – ao longo da pandemia da Covid-19, mas reflete também as oportunidades de mudança resultantes desta crise de saúde sem precedentes.

“Mova-se de forma sustentável! Seja saudável!” é o apelo que a Câmara de Loulé deixa a todos os habitantes.

O município de Loulé tem vindo de forma crescente a implementar medidas e ações em resposta às alterações climáticas, entre elas medidas que respeitam à mobilidade. Exemplo disso é a promoção da utilização de modos suaves – pedonal e ciclável – através de ações concretas como a introdução de bicicletas de uso partilhado nas escolas, a criação de redes cicláveis nos principais núcleos urbanos, a implantação de ciclovias e vias de uso partilhado, a criação da iniciativa Metrominuto. Também, a disponibilização gratuita para todas as faixas etárias dos Transportes Urbanos do Concelho de Loulé, que para além de apoiar a reativação da dinâmica social e económica, vem igualmente incentivar os munícipes a optar pelo transporte coletivo em detrimento do transporte individual, numa tentativa de reduzir a emissão de poluentes atmosféricos, principais responsáveis pelo aquecimento global do planeta.