Mangualde vai reduzir consumo energético anual

Mangualde vai reduzir consumo energético anual

Categoria Ambiente, Energia

O presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, assinou, esta semana semana, com o Governo, um Plano de Redução Energética no Município que vai permitir uma poupança na ordem dos 25 mil euros anuais nos edifícios municipais. O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, esteve no concelho para assinar este contrato de financiamento que permitirá uma reformulação das instalações elétricas de cinco pontos de consumo (Estação de Tratamento de Água de Canedo do Chão, Estação de Tratamento de Água de Fagilde, Piscinas Municipais, Estação de Tratamento de Água de Mangualde e Paços do Concelho), reduzindo assim a energia reativa nestes edifícios do município.

João Azevedo vê este “Plano de Redução Energética no município de forma séria e justa para o concelho”, acrescentado que “Mangualde é um território importante no desenvolvimento de novos projetos na área do carro elétrico, nomeadamente com o investimento da PSA para um novo modelo que vai começar a ser preparado no início de 2018”. O edil mangualdense reforçou ainda que “gostava muito que Mangualde se continuasse a afirmar como cluster automóvel” e que “desse este salto qualitativo – ambiental e de qualidade de vida”.

Na sessão, o secretário de Estado da Energia aproveitou a oportunidade para “felicitar o Presidente da Câmara pela adesão ao Plano Nacional de Eficiência Energética e pela candidatura que apresentou, dizendo-lhe que este é, no setor da energia, o grande desígnio nacional”. Salientou ainda que o objetivo é “termos consumos muito mais eficientes, quer ao nível do consumo elétrico quer ao nível dos transportes”.

Jorge Seguro Sanches anunciou, em primeira mão, que Portugal terá, até ao final da legislatura, uma carta que identificará os recursos geológicos, com vista à sua exploração: “Dei ontem (quinta-feira) orientações ao LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil) no sentido da aceleração de um programa nacional dos recursos geológicos”. Acrescentando, “é inaceitável que um país como o nosso, que tem recursos geológicos muito importantes, não os conheça”.

João Azevedo congratulou-se com a novidade por, a curto/médio prazo, ser feito “um mapeamento na área da indústria do minério de forma a arranjar alternativas em vários setores da indústria, nomeadamente no setor automóvel”, que é muito importante no concelho.