MOBI.E abre concurso público para um projeto piloto de dez hubs de carregamento

MOBI.E abre concurso público para um projeto piloto de dez hubs de carregamento

Categoria Advisor, Empresas

A MOBI.E S.A. lança um concurso público para a seleção de até quatro empresas que irão instalar dez hubs de carregamento de veículos elétricos, que visa reforçar a infraestrutura de carregamento de acesso público em 90 postos de carregamento.

De acordo com a empresa, cada hub de carregamento de veículos elétricos será constituído por um posto de carregamento ultrarrápido (150 kW), três postos de carregamento rápido (50 kW) e cinco postos de carregamento normal (22 kW), permitindo o carregamento simultâneo de 18 veículos.

Este projeto piloto, integrado no Programa de Estabilização Económica e Social do Governo, conta com o financiamento do Fundo Ambiental de 1,75 milhões de euros e vem reforçar a infraestrutura de carregamento de acesso público. O investimento público resulta de uma parceria que irá abranger municípios de norte a sul do país. Assim, aos municípios cabe a tarefa de “selecionarem, disponibilizarem e licenciarem o espaço de instalação” e à MOBI.E, S.A., a “instalação dos equipamentos de carregamento e respetivas ligações à rede elétrica”, pode ler-se no comunicado.

Segundo  aMOBI.E, S.A, o prazo para apresentação das propostas é de 30 dias, até ao dia 6 de novembro, e estas terão de ser submetidas na plataforma eletrónica ACinGOV, utilizada pela MOBI.E. As empresas selecionadas serão, depois, convidadas a apresentar propostas para a instalação de cada um dos 10 hubs.

Luís Barroso, presidente da MOBI.E, refere que “durante o processo de instalação, será lançado um procedimento de contratação pública para a concessão da operação dos hubs, de forma a garantir que o início do seu funcionamento ocorra até ao final do primeiro semestre de 2021”.

A MOBI.E é uma rede composta por postos de carregamento para veículos elétricos maioritariamente situados em espaços de acesso público. Uma rede nacional de mobilidade elétrica com um modelo baseado na interoperabilidade e no acesso universal dos utilizadores, que pode integrar diferentes players na cadeia de valor.