OesteSustentável:  Uma década em prol da sustentabilidade na Região Oeste

OesteSustentável: Uma década em prol da sustentabilidade na Região Oeste

Categoria Advisor, Empresas

Criada em 2010 para promover a sustentabilidade nos 12 municípios da Região Oeste, a OesteSustentável – Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste atinge agora a sua primeira década de existência. A missão de contribuir para o aumento da eficiência energética, para a promoção da utilização de recursos renováveis e da mobilidade sustentável, e de sensibilizar para as temáticas de energia e ambiente, mantém-se para as próximas décadas.

Fazendo um balanço dos 10 anos de atividade da OesteSustentável, destacam-se os mais de 31 milhões de euros captados e aprovados em candidaturas de financiamentos europeus e nacionais de projetos com aplicação direta nos 12 municípios da região (Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral Monte Agraço e Torres Vedras). Estima-se que o total de poupanças seja de cerca de 4,7 milhões de euros por ano. Do ponto de vista do ambiente e na contribuição para o combate às alterações climáticas, evitaram-se emissões anuais de cerca de 15000 toneladas de CO2.

São vários os projetos importantes mas destaca-se o OesteLED IP ESE, que visou a melhoria da eficiência na iluminação pública (IP), que representava em alguns casos mais de 80% da fatura de eletricidade dos municípios. Sendo um dos maiores projetos de IP LED do mundo foi também pioneiro em Portugal pelo modelo de financiamento intermunicipal adotado, que evitou a necessidade de investimento inicial de capital público por parte dos municípios beneficiários, investimento esse que rondou os 16 milhões de euros.

O projeto envolveu os 12 municípios num total de 365 mil habitantes, e com uma fatura de eletricidade de aproximadamente seis milhões de euros anuais, tendo sido substituídos 68.500 pontos de luz por tecnologia LED, evitando-se um consumo de 26,4 GWh/ano, o que equivale a cerca de 7500 habitações.  Tal redução na energia utilizada, mais de 80%, foi conseguida através de exigências elevadas nos parâmetros de desempenho, que permitiram que a amortização do investimento pudesse ser feita através de uma parte dessa poupança, gerando simultaneamente um benefício líquido de 58,85% para os municípios, o mais alto conseguido em Portugal em outros contratos similares, cuja média ronda os 30%. Esse benefício ultrapassa os 2,4 milhões de euros por ano, num contrato de 12 anos, sem qualquer investimento público inicial, tendo-se também evitado emissões de cerca de 10 mil toneladas de CO2/ano. Ao nível do benefício direto nas finanças locais, este será provavelmente o projeto com maior impacto do mundo, atendendo a que Portugal pratica das tarifas de eletricidade mais caras do mundo.

A OesteSustentável também sempre apostou no trabalho com as escolas e na educação criativa para a sustentabilidade. Aqui destaca-se um projeto, já concluído com sucesso. O Ventos de Poupança 2 foi responsável pela instalação de 1450 lâmpadas LED em 29 escolas e IPSS de vários concelhos, que resultaram numa poupança estimada de 129.801 kWh/ano, evitando cerca de 53,87 toneladas de CO2 para a atmosfera, e representando uma poupança anual de cerca de 23 mil euros. Promoveu ainda, nos dois últimos anos letivos, atividades lúdico-pedagógicas usando o jogo-quizz de sustentabilidade “ÉcomLógica” para smartphones, bem como outras ações relativas à eficiência energética, abrangendo um universo escolar de mais de 100 mil alunos.

Entre 2016 e 2019, destacam-se também projetos de sustentabilidade energética na iluminação de edifícios municipais como o LEDifícios do Oeste, com mais de oito mil lâmpadas, assim como o Semáforos LED e outros 13 projetos em edifícios no âmbito do Fundo de Eficiência Energética, no âmbito do qual foram aprovados financiamentos de mais de 210 mil euros.

Recentemente, a Agência foi também convidada por entidades europeias da maior relevância, como a FEDARENE, e a Energy Cities, para ser coordenadora nacional no projeto Living Streets e para ser o perito nacional, no projeto European City Facility EUCF, distinções que confirmam um reconhecimento pelos 10 anos de empenho em prol da sustentabilidade.

Este artigo foi publicado na edição 85 da Ambiente Magazine.