Pepsico quer eliminar plástico à base de fósseis nas embalagens de chips and crisps até fim da década

Pepsico quer eliminar plástico à base de fósseis nas embalagens de chips and crisps até fim da década

Após a introdução da PepsiCo Positive, a transformação estratégica de ponta a ponta da empresa com a sustentabilidade como elemento central, a PepsiCo Europe anuncia hoje que, até 2030, planeia eliminar o plástico virgem à base de fósseis nas suas embalagens de chips and crisps. Esta ambição vai aplicar-se a marcas como Walkers, Doritos e Lay’s e será entregue utilizando plástico 100% reciclado ou renovável nas suas embalagens.

Os ensaios de consumo das embalagens terão início nos mercados europeus em 2022, começando com o plástico renovável numa gama Lay’s em França, no primeiro semestre do ano. No final do ano, uma linha da marca Walkers, no Reino Unido, irá testar o conteúdo reciclado. O conteúdo reciclado nas embalagens será derivado do plástico anteriormente utilizado e o conteúdo renovável será proveniente de subprodutos de plantas como óleo alimentar usado ou resíduos de pasta de papel. A PepsiCo estima que poderá alcançar uma redução 2 de até 40% das emissões de gases com efeito de estufa, por tonelada de material de embalagem, mudando para material virgem livre de fósseis.

Silviu Popovici, Chief Executive Officer, PepsiCo Europe comenta: “A reciclagem de embalagens deve ser a regra em toda a Europa. Vemos um futuro em que as nossas embalagens não irão conter plástico virgem à base de fósseis. Estas passarão a fazer parte de uma economia circular próspera, onde as embalagens flexíveis são valorizadas e podem ser recicladas como uma nova embalagem. Estamos a investir juntamente com os nossos parceiros para criar capacidade tecnológica para o fazer. Precisamos agora de uma regulamentação adequada para que as embalagens nunca se tornem resíduos.”

A PepsiCo utiliza plástico flexível para as suas embalagens de chips and crisps – o invólucro macio é utilizado para fazer estas embalagens porque é mais leve em comparação com as embalagens alternativas e, portanto, tem uma pegada de carbono mais baixa. É também altamente eficaz para manter os alimentos frescos, reduzindo assim o desperdício alimentar. No entanto, a PepsiCo reconhece que é necessária uma mudança para reduzir a quantidade de plástico virgem à base de fósseis que é utilizado e para impulsionar a circularidade em embalagens flexíveis. A PepsiCo Europe concentrará o seu trabalho em três pilares estratégicos: o design certo; a infraestrutura correta e a
nova vida certa para as embalagens flexíveis.

Além da mudança para conteúdo renovável e reciclado, a PepsiCo desenvolveu o seu programa “Making Bags Better”, que se irá concentrar em diversos investimentos e inovações para que plásticos mais flexíveis sejam reciclados e reutilizados na Europa.

O design certo
A PepsiCo está a transferir todas as suas embalagens para materiais que as tornam mais fáceis de reciclar, aproveitando uma tecnologia de design inovadora, para criar uma estrutura de embalagens mais simples. O novo design contém maiores proporções de plásticos recicláveis, como o polipropileno, comumente referido como “mono-materiais”. Este responde às diretrizes de design para a reciclagem desenvolvidas pela Circular Economy for Flexible Packaging (CEFLEX), que foram acordadas por diversas partes interessadas, que atuam na cadeia de valor de embalagens flexíveis.

Gerald Rebitzer, diretor de Sustentabilidade da AMCOR, parceiro de embalagens flexíveis da PepsiCo na Europa, partilhou: “Estamos a construir um futuro onde a embalagem flexível faz parte da economia circular. Juntamente com a PepsiCo, melhorámos as tecnologias de materiais na nova embalagem flexível da PepsiCo, para facilitar a sua reciclagem. Estamos a dar inicio à integração de conteúdos renováveis e reciclados nas embalagens da PepsiCo. Para satisfazer as exigências dos nossos clientes como a PepsiCo, incentivamos mais parceiros a investir nas cadeias de fornecimento destes novos materiais”.

A PepsiCo também tem trabalhado no sentido de reduzir embalagens desnecessárias nas suas versões individuais e multipacks, como parte do seu compromisso com uma redução de 50% no plástico virgem por unidade, até 2030. Está a haver uma evolução neste objetivo, inclusive em mercados como o Reino Unido, onde a PepsiCo reduziu o seu filme flexível em embalagens externas em 30%, utilizando tecnologia inovadora nas nossas instalações de fabrico.

A Infraestrutura Certa
A PepsiCo está empenhada em investir em infraestruturas para dar às embalagens flexíveis a oportunidade de uma segunda vida e em defender mudanças políticas que tornem isso possível. Isto inclui colaborar e financiar o desenvolvimento de sistemas eficazes de recolha de resíduos na Europa e investir em esquemas como o Flexible Plastics Fund no Reino Unido e o REFLEX na Polónia. Como parte desta abordagem, a PepsiCo Europe defende o estabelecimento de objetivos ambiciosos de reciclagem de embalagens flexíveis, incluindo a aceleração da proibição de aterros e a rápida adoção de taxas EPR (Extended Producer Responsibility) que impulsionem a recolha, triagem e reciclagem efetiva de filme flexível. A PepsiCo também está a investir em tecnologia para aumentar a escala e
melhorar a triagem e reciclagem, testando embalagens inteligentes em várias marcas em 2022 na Alemanha e França como parte da iniciativa Holy Grail 2.0 Digital Watermarks. A PepsiCo está a trabalhar com parceiros na indústria da reciclagem, tais como a Borealis e a TOMRA, para progredir em tecnologias avançadas de reciclagem de embalagens flexíveis.

A Nova Vida Certa
A PepsiCo vai concentrar-se na procura de conteúdos reciclados fabricados a partir de embalagens flexíveis, para apoiar a sua utilização de forma mais ampla. Juntamente com os testes planeados pela empresa de plástico reciclado este ano, a empresa continua também a explorar novas possibilidades de vida para as suas embalagens de chips and crisps. Embora o objetivo da PepsiCo seja a circularidade de cada unidade, que é adequada para embalagens de alimentos, é evidente que a recolha, classificação avançada e reciclagem de filme flexível para produzir produtos valiosos e duráveis é um importante primeiro passo para um futuro circular para embalagens flexíveis. Por esta razão, a PepsiCo está também a explorar a adoção de embalagens de plástico capazes de serem transformadas em artigos como postes de rua e peças da indústria automóvel.

O anúncio de hoje é o mais recente dos ambiciosos planos da empresa para construir um mundo onde as embalagens nunca se tornem resíduos, uma das áreas de foco da PepsiCo Positive. A empresa já anunciou os seus planos para transformar as suas embalagens de bebidas. Irá também transformar a marca Pepsi em garrafas de plástico 100% reciclado (100% rPET) em 11 mercados europeus até 2022 e continuará a investir na construção de um modelo reutilizável, inclusive através da SodaStream, que visa evitar cerca de 200 mil milhões de garrafas de plástico até 2030.

“Chegar a um modelo sustentável de embalagens de bebidas na Europa é o caminho mais direto, principalmente com o crescimento da oferta de plástico reciclado para garrafas”, comenta Archana Jagannathan, diretora Sénior de Embalagens Sustentáveis da PepsiCo Europe. “Através da colaboração e da inovação, podemos ter um caminho para uma economia circular viável para as nossas embalagens de alimentos na Europa. Hoje, o fornecimento de materiais reciclados e renováveis para flexíveis é limitado. No entanto, se uma infraestrutura de resíduos, semelhante às
embalagens de garrafas de bebidas, acelerar para este segmento, iremos acelerar os nossos planos e cumprimos ainda mais os nossos compromissos.”