População aconselhada a sair da costa após alerta de tsunami

População aconselhada a sair da costa após alerta de tsunami

Um terramoto de magnitude 7.8 escala de Ritcher abalou ontem a Nova Zelândia, pouco depois doa meia-noite (11 horas em Portugal continental), refere hoje o jornal Público.

O epicentro situou-se a 208 quilómetros a sudoeste de Wellington, a capital neozelandesa e foi lançado um alerta à população para procurar zonas altas, por se ter formado um tsunami. Até agora, há pelo menos duas mortes confirmadas.

Cerca de 20 mil pessoas foram retiradas das zonas costeiras durante a noite. Só ao romper da manhã começou a ser levantado o alerta de tsunami, na maior parte do território.

Foi no nordeste da ilha sul, mais perto do epicentro do sismo, que o alerta se manteve durante mais tempo. Havia uma grande preocupação com a cidade turística de Kaikoura, procurada para observação de golfinhos, com a qual não havia comunicações, mas onde se sabia que havia pelo menos dois mortos.

O primeiro-ministro neozelandês, John Key, anunciou que seriam enviados helicópteros militares para a região para avaliar a situação. Ressalve-se que a Nova Zelândia fica na zona sísmica mais ativa do planeta, no chamado “Anel de Fogo do Pacífico”, um arco de 40 mil km de vulcões e fossas oceânicas. Cerca de 90% dos sismos da Terra ocorrem nesta região.