Porque é que subiram os preços da energia?

Porque é que subiram os preços da energia?

Categoria Ambiente, Energia

Porque é que o preço da electricidade subiu 80% no mercado grossista em Janeiro?, questiona hoje o Jornal de Negócios. Este aumento abrupto motivou o Governo a escrever uma carta à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Na missiva, a que o Negócios teve acesso, primeiro é destacado o “aumento acentuado” dos preços da eletricidade no mercado diário ibérico. No dia 1 de janeiro, o preço da eletricidade rondava os 51 euros por megawatt hora (MWh). No dia 25 de janeiro, atingiu 92 euros por MWh.

“Nesse sentido, solicita-se a apreciação e fundamentação técnica das razões que justificam esta acentuada subida de preços, bem como das propostas de medidas que possam contrariar esse efeito”, escreveu o secretário de Estado de Energia, Jorge Seguro Sanches.

O envio da missiva foi revelado no Parlamento na quarta-feira, 1 de fevereiro. “Houve um aumento muito grande do preço de eletricidade em Portugal. E o Governo atuou, no sentido de, com o regulador, estar a verificar o que se está a passar”, disse aos deputados. O Governo aguarda agora a resposta por parte do presidente da ERSE, Vítor Santos.

Existem várias razões para estas subidas. Como o aumento do consumo de energia causado pelo frio, pelo uso de aquecedores e ar condicionado.  Parte desta subida deve-se ao facto de França estar a comprar mais eletricidade aos países vizinhos. É que das 58 centrais nucleares francesas, cerca de 20 estão paradas para manutenção ou inspeção. Outra das causas é situação de seca registada recentemente, com as barragens a produzirem menos. A pesar, também está o aumento do preço do gás e do carvão nos mercados.

Em Portugal, os aumentos súbitos de eletricidade grossista não provocam alterações imediatas na fatura. No mercado regulado, a ERSE define a tarifa por um ano. No mercado livre, o comercializador normalmente faz o aprovisionamento durante um ano para assegurar estabilidade de preços aos consumidores.