Portugal quer contribuir para a definição de um conjunto de princípios para um setor mineiro sustentável 

Portugal quer contribuir para a definição de um conjunto de princípios para um setor mineiro sustentável 

“As matérias-primas não são um vestígio do passado mas uma parte inevitável do futuro”, disse João Galamba, secretário de Estado da Energia, na sessão de encerramento da Conferência “Green Mining”, promovida no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia.

Para Galamba, os desafios que a Europa enfrenta têm que ver com a “adição de valor”, sendo por isso, fundamental trabalhar em conjunto com as indústrias de manufatura: “A produção, os padrões e as práticas europeias têm que ser valorizadas e têm que estar na primeira linha da transição para práticas mineiras mais verdes e sustentáveis”. E Portugal que está empenhado na neutralidade pretende “promover a produção e o uso de baterias de alto desempenho e estabelecer referências sustentáveis” em toda a cadeia, através de um “conjunto de princípios” para um setor mineiro ambientalmente sustentável: “Queremos ter o máximo de recuperação das baterias e dos seus componentes permitindo a redução da dependência da Europa nas matérias-primas”. Com esta abordagem, Portugal pretende assim contribuir para a “definição de um conjunto de princípios” para um setor mineiro sustentável e, também, “estabelecer padrões para uma produção de baterias de uma forma competitiva e mais verde”, destaca. 

O secretário de Estado da Energia acredita que o “empenho” e a “sustentabilidade” permitirão alcançar os objetivos ambientais e climáticos, enquanto promovem o desenvolvimento da economia: “Nunca podemos interpretar a situação como uma negação dos recursos necessários para a energia e para uma transição limpa. E aqueles que se opõem aos passos de que todos necessitamos para avançar para um futuro mais sustentável, são os aliados de práticas não sustentáveis”. Por isso, é importante “transformar as economias nacionais, de forma a atingirmos um desenvolvimento mais sustentável num modelo democrático e mais justo”, sustenta.

Relativamente à evolução das minas, João Galamba disse tratar-se de um desafio que não pode ser ignorado: “É importante tentar implementar modelos que promovam o progresso civilizacional, o avanço tecnológico e a criação de emprego juntamente com a preservação dos recursos naturais”.

Nos debates promovidos ao longo da conferência, ficou clara a dependência das tecnologias limpas e digitais das matérias-primas e que as transições verdes e digitais vão levar a um aumento da procura ao nível europeu. Relativamente às oportunidades e aos desafios, o destaque assenta na necessidade de se “atingir bons níveis de desempenho no setor mineiro” de forma a “aumentar a aceitação do setor por parte do público e da sociedade em geral”. O “potencial dos recursos minerais para suportar a transição energética” foi ainda um tema que mereceu grande atenção por parte dos especialistas. 

A “Green Mining” decorreu esta quarta-feira, a partir do Centro Cultural de Belém e foi transmitida em formato online. 

Cristiana Macedo