Amalio de Marichalar: “O Cop 24 é essencial para a necessária implementação do históricos acordos ambientais de Paris”

Amalio de Marichalar: “O Cop 24 é essencial para a necessária implementação do históricos acordos ambientais de Paris”

O presidente do Fórum Ambiente 21 para o Desenvolvimento Sustentável, Amalio de Marichalar, Conde de Ripalda, participou na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, denominada Cop 24, que decorre em Katowice, na Polónia, numa nova etapa após completar vinte e seis anos de trabalho para o Desenvolvimento Sustentável. Num nota enviada à imprensa lê-se que “o seu plano de ação aprofundou o trabalho que, juntamente com os Fóruns de Lisboa e Porto, foram apresentados na Cimeira de Paris para unir a Cultura ao Desenvolvimento Sustentável como o quarto pilar do mesmo”.

A premissa do COP 24 baseia-se no problema da implementação dos Acordos de Paris, especialmente as regras e diretrizes do programa de trabalho, bem como as divergências entre países desenvolvidos e de desenvolvimento emergente. Finanças, transferência de tecnologia, responsabilidades comuns mas diferenciadas, transparência, tendências de emissão e objetivo urgente de não mais de dois graus de aquecimento global, entre outros temas, são uma parte essencial desta Conferência.

O Fórum Ambiente 21 para o Desenvolvimento Sustentável exerce na sua agenda a proposta de um diálogo permanente entre as partes, com o compromisso histórico de Paris como o ponto de não retorno nos muitos avanços também realizados desde a conferência Rio 92.

O Fórum está focado especialmente na liderança no mundo dos negócios com as práticas de inovação e as respostas constantes para reduzir as emissões no que já é um compromisso firme para um novo modelo de desenvolvimento.

Da mesma forma, está a implementar firmemente o compromisso com a cultura, nascido no trabalho do Fórum em conjunto com os Fóruns de Lisboa e Porto, para o Desenvolvimento Sustentável, e entendido como o melhor legado moral da sociedade, como o quarto pilar da sustentabilidade e sua pedra angular, sendo já considerado um avanço inovador e estratégico para todos os setores que querem liderar um desenvolvimento humano, colocando a pessoa no centro.

Na sua intervenção na COP 24, Amalio de Marichalar, recordou e honrou Maurice Strong, indivíduo importante no setor que ao longo de muitos anos de importantes avanços rumo à sustentabilidade, lançou a proposta em março de 2001 que fosse criada uma nova Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável em Espanha, hoje essencial para que o mundo global tenha capacidade para enfrentar os desafios com a magnitude das mudanças climáticas, lembrando que “Katowice deve-se guiar de forma muito determinada e ambiciosa”.

O Presidente do Fórum Ambiente 21 lembrou ainda o imutável trabalho do professor Ricardo Diez-Hocheletner, de assumir o desafio da educação como cunho transversal no alcance dos objetivos de sustentabilidade, e a profunda gratidão que devemos à sua pessoa pelos “ensinamentos diários que nos concede”.

Amalio de Marichalar terminou a intervenção sublinhando que “estes dias no COP 24 serão essenciais para a implementação necessária dos acordos históricos de Paris”.