Projeto “NitroPortugal” vai marcar presença no New Art Fest em Lisboa

Projeto “NitroPortugal” vai marcar presença no New Art Fest em Lisboa

Categoria Águas, Ambiente

A 3.ª edição do The New Art Fest, festival internacional de new media art vai decorrer de 9 a 30 de novembro, no Museu de História Natural em Lisboa.

Saber a importância do Azono (nitrogénio) na nossa vida;  como pode ser medida a “sua” pegada de Azoto ou saber qual o efeito do excesso de Azoto no ambiente, são alguns exemplos que o projeto “NitroPortugal” pretende dar a conhecer neste festival.

O projeto “NitroPortugal” refere numa nota enviada, que todas as iniciativas vão decorrer num cenário imersivo de realidade virtual. “Vai ser possível, num filme em 3D perceber quais são os reais efeitos do excesso de azoto no ambiente”. O mesmo se conseguirá percecionar, num jogo Arcade interativo desenvolvido para adultos e crianças e que tem como objetivo “mostrar de uma forma lúdica a importância deste elemento na nossa vida”.

Este tema, do azoto (nitrogénio), está inserido no âmbito do 6º Workshop científico do projeto europeu H2020 “NitroPortugal” e que tem como objetivo chamar a atenção de todos, sem exceção, sobre os problemas que o excesso de azoto (nitrogénio) pode causar no dia-a-dia de cada um. São exemplos, a poluição da água com nitratos que inviabiliza o seu uso normal, as chuvas ácidas que destroem florestas, a emissão de gases com efeito de estufa 300 vezes mais potentes do que o dióxido de carbono que contribuem para a alteração climática, a formação de partículas finas que traz problemas respiratórios graves, a perda de biodiversidade, etc.

Reduzir a pegada de azoto

De acordo com a nota, investigadores do Instituto Superior de Agronomia, em conjunto com uma equipa da Universidade da Virgínia, EUA, desenvolveram um website que permite ao cidadão calcular a sua pegada de azoto, baseado em informação sobre comportamentos de consumo. “É importante que cada um de nós reforce pequenos gestos diários, contrariando uma atitude excessivamente consumista”.

“A escolha de produtos agrícolas com certificação ambiental, o consumo de carne nas doses recomendadas pelos nutricionistas, e a redução do desperdício alimentar ou ainda a restrição do uso do automóvel nas deslocações diárias” são exemplos de comportamentos a adotar.