Projeto ZER vai permitir a redução de 60.000 toneladas de CO2 por ano

Projeto ZER vai permitir a redução de 60.000 toneladas de CO2 por ano

A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) esteve presente na passada sexta-feira, na apresentação da ZER – Zona de Emissões Reduzidas – Avenida Baixa-Chiado, feita pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, na Loja Capital Verde. Na informação enviada à imprensa, pode ler-se que este projeto insere-se na agenda da “Lisboa Capital Verde Europeia 2020”, no qual Lisboa se tornou na primeira Capital Verde de toda a região do sul da Europa.

A FPCUB congratula a Câmara Municipal de Lisboa, pela vontade e coragem de devolver a cidade às pessoas promovendo o uso da bicicleta, o andar a pé e o transporte público em detrimento do uso de veículos individuais motorizados.

As ciclovias que irão ser implementadas vêm melhorar significativamente a segurança rodoviária dos utentes das vias. Além disso, vêm complementar a rede ciclável da cidade que deve ser integrada. Este projeto contempla alterações significativas para o eixo Avenida da Liberdade – Baixa Chiado a funcionar em “soft opening” a partir de junho e julho de 2020 e em pleno a partir de agosto de 2020 das quais se destacam:

Av. Da Liberdade

  • Eliminação do tráfego de atravessamento e segmentação dos veículos autorizados a
    partir do Rossio
  • Redução da utilização da Av. Da Liberdade como eixo de saída da cidade
  • Ciclovias segregadas na Av. Da Liberdade, permitindo ligar o Eixo Central à Zona
    Ribeirinha
  • Eliminação de 350 lugares de rotação à superfície
  • Aumento de lugares específicos para cargas/descargas e tomada de passageiros nas
    laterais
  • Criação do Passeio Público entre os Restauradores e a Rua das Pretas/Praça da alegria

Av. Almirante Reis

  • Ciclovia bidirecional no acesso à Baixa, entre a Praça do Chile e o Martim Moniz
  • Requalificação da Praça do Martim Moniz e da Praça da Figueira

Baixa-Chiado

  • Acesso condicionado exclusivamente a veículos autorizados entre as 6h30 e as 0h00
  • Eliminação de 250 lugares de estacionamento à superfície
  • Ordenamento de cargas e descargas restringindo horários e locais de paragem, privilegiando o período noturno
  • Qualificação e pedonalização de vários espaços da zona
  • Reforço do Transporte Público
  • Criação de ligações cicláveis entre o Eixo Central e a Zona Ribeirinha Av. Da Liberdade
  • Rua do Ouro e Av. Almirante Reis – Rua dos Fanqueiros
  • Pedonalização plena da Rua Nova do Almada, da Rua Garrett e do Largo do Chiado
  • Melhoria do espaço pedonal na Rua da Misericórdia, Largo Camões e Calhariz

Envolvente Príncipe Real – São Bento

  • Impedimento do atravessamento da colina
  • Corredor BUS na Rua de São Bento
  • Rua de São Pedro de Alcântara e Rua do Loreto/Calhariz com melhoria dos canais pedonais e tráfego limitado a transporte coletivo

Estas medidas irão permitir uma redução de 40.000 viaturas e 60.000 toneladas de CO2 por ano. A escolha desta zona da cidade teve por base várias razões, a Av. Da Liberdade exceder em 50% o limite máximo recomendado pela UE de dióxido de azoto, a Av. Almirante Reis tem regularmente partículas finas claramente acima do recomendado, o trânsito automóvel é o principal responsável pelas emissões de partículas finas e de dióxido de azoto na cidade de Lisboa, com a particularidade de ser a área com maior cobertura de transporte público, em que 60% dos visitantes já usam transportes nas deslocações para a zona e 80% da população de Lisboa tem ligação direta da Carris à área de intervenção.

Foto cedida pela FPCUB