Quarta edição do Blue Bio Value recebe 18 startups de dez países dos cinco continentes

Quarta edição do Blue Bio Value recebe 18 startups de dez países dos cinco continentes

Categoria Advisor, Agenda, Empresas

O Programa de Aceleração Blue Bio Value vai acelerar 18 startups ligadas à bioeconomia azul, provenientes de 10 países (Portugal, Argentina, Canadá, Reino Unido, Indonésia, Finlândia, Itália, França, Suécia e Noruega). Na quarta edição, o programa, promovido pela Fundação Oceano Azul e pela Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a BlueBio Alliance (BBA) e dinamizado pela Maze, recebeu 80 candidaturas provenientes de 28 países dos cinco Continentes, o que evidencia o crescente dinamismo do setor, tanto em Portugal como a nível internacional.

“Ao oferecer soluções inovadoras que não degradam a natureza e contribuem para a descarbonização da economia, as startups aceleradas no Blue Bio Value são uma prova de que um novo modelo económico é possível. O caminho da mudança passa por construir uma economia azul sustentável, renovável, neutra em carbono e sem resíduos”, diz Ana Brazão, gestora deste projeto na Fundação Oceano Azul.

Já para Filipa Saldanha, subdiretora do Programa Gulbenkian Desenvolvimento Sustentável da Fundação Calouste Gulbenkian, “o número de candidaturas e a criatividade dos projetos, provenientes dos quatro cantos do mundo, mostram o interesse crescente na biotecnologia azul e que esta é uma área, um modelo que vale a pena incentivar. É este o caminho que nos conduzirá a um novo modelo económico, fundamental no processo de transição para cadeias de valor mais sustentáveis.”

Segundo uma nota divulgada à imprensa, o Blue Bio Value Aceleração tem a duração de sete semanas: cinco remotas e duas presenciais. Durante as duas últimas semanas presenciais, as 18 startups estarão em Lisboa e terão a oportunidade para fazer networking, participar em algumas field trips a centros de investigação e empresas relacionadas com a biotecnologia azul nas zonas de Aveiro, Cantanhede, Lisboa e Porto, fazer parte do ocean day, do enterpreneurship day e finalmente convencer o júri com o seu final pitch (25 de novembro). “Estão já agendadas mais de 100 reuniões entre participantes e mentores em áreas tão variadas como a biotecnologia, o acesso a financiamento, marketing e comunicação, e aconselhamento legal”, lê-se na mesma nota partilhada pelas entidades promotoras.

A Fundação Oceano Azul e a Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a Bluebio Alliance, irão apoiar os participantes de forma a: “Validar as tecnologias desenvolvidas”; “Adquirir competências de gestão, criando bases para o desenvolvimento de novos produtos e serviços mais sustentáveis e economicamente viáveis, para um mercado global”; “Aceder a uma rede única de mentores nacionais e internacionais, parceiros especialistas no setor, potenciais clientes e investidores”.

As startups que mais se destacarem no decorrer da aceleração serão as vencedoras do final pitch e por isso serão premiadas com um valor de 45 mil euros para ser utilizado no desenvolvimento dos projetos.

Através do programa Blue Bio Value, as fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian pretendem capacitar startups na área de biotecnologia azul e mostrar múltiplas oportunidades que o país oferece, contribuindo assim para afirmar Portugal como um centro europeu relevante e inovador no desenvolvimento da mais moderna bioeconomia marinha.

Lançado em 2018, o Programa Blue Bio Value já acelerou 42 empresas de 15 nacionalidades. Nestas 4 edições do programa, as Fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian já investiram um total de 2M€, contribuindo para que três startups internacionais se sediassem em Portugal e mais de 70% dos participantes no programa expandissem as suas atividades devido à melhoria dos seus produtos.