Quercus Aveiro apela para “fiscalização contínua” a crimes ambientais

Quercus Aveiro apela para “fiscalização contínua” a crimes ambientais

A Quercus Aveiro apela para que os seus associados e todos os cidadãos se tornem vigilantes da natureza da sociedade civil. O objetivo, segundo a associação ambiental, é que cada cidadão esteja atento e possa comunicar crimes ambientais no seu concelho. Assim, pretende-se “envolver os cidadãos e conseguir ter presença” em todos os concelhos do distrito, refere em comunicado a Quercus.

Segundo a Quercus, apesar da proteção legal e dos compromissos assumidos, o ambiente continua sujeito a uma “forte degradação” originada por um grande número de ameaças. O Núcleo Regional de Aveiro da Quercus considera “inaceitável” que se verifiquem “situações de incumprimento sistemático” de cidadãos e entidades. Para a associação, a fiscalização continua a ser “insuficiente” e a “aplicação de sanções”, sempre que se “verificam situações de incumprimento sistemático”, continua a ficar “aquém” do esperado.

Por isso, a Quercus Aveiro lança a iniciativa “Todos pelo Ambiente”, apelando a todos os cidadãos da região que verifiquem o “estado de saúde dos ecossistemas do seu território”, nomeadamente a “existência crimes ambientais”, como o “despejo de lixos, entulhos e outros resíduos”, a “alteração ilegal do uso do solo com construções e aterros”, o “despejo de efluentes não tratados”, a “existência de espécies invasoras como a acácia e a erva-das-pampas”.

Segundo a Quercus, os cidadãos podem enviar fotografias ou vídeos das situações detetadas para a associação, indicando a localização do crime ambiental, para eventual recolha de provas e consequente denúncia pública.