Schneider Electric anuncia frota 100% elétrica

Schneider Electric anuncia frota 100% elétrica

Categoria Advisor, Empresas

Avançando no seu compromisso de construir um mundo neutro em carbono, a Schneider Electric anuncia a adesão à iniciativa EV100 do The Climate Group (TCG), lançando uma política de Frota Verde com o objetivo de “substituir a totalidade da frota da empresa por veículos elétricos (VE) até 2030”, pode ler-se no comunicado. Este anúncio coincide com o lançamento do 2020 Progress and Insights Annual Report, um relatório anual que demonstra que a procura por veículos elétricos está em ascensão e que as organizações que os adotam estão a progredir rapidamente na consecução das suas metas de sustentabilidade.

O futuro da mobilidade é elétrico e uma mudança rápida é possível

Segundo um relatório especial do IPCC, para limitar a subida da temperatura média do planeta a 1.5ºC, as emissões globais de CO2 necessitam de ser reduzidas em 45% até 2030. A mobilidade elétrica é fundamental para conseguir este objetivo, juntamente com a descarbonização, a descentralização e a digitalização da energia.

A adoção da mobilidade elétrica está, no entanto, a ser mais lenta do que o necessário. Neste sentido, com este compromisso a Schneider Electric pretende “demonstrar que uma mudança rápida é exequível”. Até 2030, o Grupo irá converter em veículos elétricos cerca de 14.000 veículos da empresa, em mais de 50 países. No mesmo período de tempo, irá também instalar infraestruturas de carregamento nos seus escritórios e fábricas principais, com instalações de elevada qualidade e que demonstram a inovadora arquitetura de mobilidade elétrica da plataformaEcoStruxure, com tecnologias microgrid, gestão de ativos e novos sistemas de gestão da energia.

A EV100 é uma incrível alavanca para conseguir a neutralidade carbónica das operações até 2030

Em 2019, a Schneider Electric acelerou a sua estratégia climática, com o objetivo de atingir a neutralidade carbónica até 2025 e as zero emissões até 2030, como parte da meta global de limitar o aquecimento a 1.5ºC. Ao unir-se à iniciativa EV100 do The Climate Group, que junta empresas influentes, o Grupo  comprometeu-se de novo com a aceleração das ações climáticas. A transição para uma frota totalmente elétrica permitir-lhe-á reduzir as emissões diretas dos veículos da empresa para zero, até 2030.

A Schneider Electric aderiu a três das iniciativas do TCG; para além da EV100, já se tinha juntado também, em 2017, às iniciativas RE100 e EP100, que implicam transformações complementares para reduzir as emissões das operações para zero até 2030, em linha com a trajetória climática de 1.5ºC:

  • EP100: para aumentar para o dobro a produção de energia até 2030, em relação à base de referência de 2005, definindo a meta ambiciosa de dobrar, também, os resultados económicos de cada unidade de energia consumida;
  • Da RE100: para utilizar 100% de eletricidade renovável até 2030, com um objetivo intermédio de 80% em 2020. O progresso nesta iniciativa é reportado no relatório Schneider Sustainability Impact (SSI).

“As empresas globais têm um papel importante na aceleração da transição energética. Juntando-se à EP100 e à RE100 e colocando a utilização inteligente de energia no cerne da sua estratégia de negócio, a Schneider Electric já está a liderar pelo exemplo”, afirmou Helen Clarkson, CEO do The Climate Group. “Estamos entusiasmados por a SE se unir também à EV100, fazendo dela uma de muitas mais empresas, esperamos, a assumir estes três compromissos, demonstrando que a energia limpa e inteligente anda de mãos dadas com o transporte.”

A mobilidade elétrica não é um conceito novo, mas uma realidade para muitos colaboradores da Schneider Electric

A Schneider Electric começou a desenvolver soluções de carregamento VE já há alguns anos, disponibilizando-as em várias das suas localizações pelo mundo, pelo que os seus colaboradores foram pioneiros na adoção da mobilidade elétrica.

Na Alemanha, por exemplo, o Grupo apoiou a transformação do Campus EUREF numa verdadeira montra da mobilidade e energia baixas em CO2, permitindo a consecução da meta livre de carbono FUTURE 2050 daquele país 30 anos antes do previsto. Os colaboradores da Schneider Electric que trabalham no Campus EUREF fazem parte das 150 empresas e instalações de investigação que beneficiam desta infraestrutura preparada para o futuro.

Noutros países, como a Noruega, a Schneider Electric já deu um passo em frente e começou a oferecer aos colaboradores a hipótese de utilizarem veículos elétricos para as suas necessidades profissionais. Esta transformação, que será conduzida em mais de 50 países nos próximos 10 anos, vai sem dúvida contribuir para a mudança de hábitos de muitos novos colaboradores.

Investir e colaborar com startups de e-Mobility para acelerar a transição global para o VE

Para além da transição elétrica da sua própria frota de veículos, a Schneider Electric também apoia outras empresas a fazer o mesmo, investindo e fazendo parcerias com start-ups. São exemplos disso a eIQ Mobility, que oferece serviços de consultoria e software dedicados à eletrificação de frotas, e a DST, que proporciona logística as a service com frotas elétricas e conta com mais de 16.000 veículos elétricos. A Schneider Electric é também investidora e parceira da Volta, cujo inovador modelo de negócio permite o carregamento gratuito de VEs para proprietários de imóveis e condutores, em troca de publicidade.

Foto cedida pela Schneider Electric