Schneider Electric: Martina Tomé é a nova vice-presidente da unidade de negócio de Energia para a região ibérica

Schneider Electric: Martina Tomé é a nova vice-presidente da unidade de negócio de Energia para a região ibérica

Categoria Advisor, Empresas

A Schneider Electric nomeou Martina Tomé para o cargo de vice-presidente da unidade de negócio de Energia para a Ibéria, uma das áreas-chave da empresa, que combina equipamentos de distribuição de energia com soluções inteligentes de gestão. Martina traz para a sua nova posição um grande conhecimento do Grupo e do setor, bem como uma profunda experiência comercial.

Licenciada em Engenharia Industrial pela Escola Poltécnica Superior da Universidade da Corunha, completou a sua formação com um mestrado em Gestão de Marketing pela EADA Business School.

Entrou para a Schneider Electric em 2007, integrando a equipa comercial como Account Manager dos segmentos de Retail e Healthcare. Ao longo destes 12 anos, desempenhou funções nas áreas de Eficiência Energética, Building Automation (responsável de clientes Integradores de Edifícios), Retalho (Key Account Manager) e Field Services (responsável da equipa de Field Services Sales). Em 2018, foi nomeada Diretora-Geral da Telemat, uma empresa de serviços do grupo Schneider Electric, especializada em serviços de média e alta voltagem em grandes ambientes industriais.

Martina Tomé assume este novo desafio fazendo uma aposta num modelo energético baseado na digitalização, na descarbonização e na descentralização energética, impulsionando soluções conectadas que melhorem a eficiência e a sustentabilidade da rede elétrica.

“Enfrento este novo desafio com o objetivo de fazer com que a Schneider Electric lidere a transformação do setor da energia, que assistirá a um aumento exponencial da sua procura nos próximos anos. Assim, será necessário proporcionar ao mercado soluções tecnológicas digitalmente conectadas, que permitam aos nossos clientes levar a cabo uma ampla gestão dos seus ativos, contribuindo para maximizar a sua eficiência energética e apoiar o seu caminho para a sustentabilidade”, comenta Martina Tomé.