Trotinetes elétricas da VOI chegam a Faro

Trotinetes elétricas da VOI chegam a Faro

A VOI, plataforma de mobilidade sueca que disponibiliza trotinetes elétricas, acaba de anunciar que vai iniciar a sua operação em Faro. A cidade algarvia é a segunda cidade que conta com a presença desta plataforma tecnológica em Portugal.

A partir de dia 11 de fevereiro, os habitantes e visitantes da cidade de Faro poderão usufruir de trotinetes elétricas, as quais poderão ser desbloqueadas através da app da VOI (disponível para Android e iOS). O custo de desbloqueio é de 1€ e o valor por minuto é de 0,15€.

“Em apenas 8 meses de operação, a VOI consegui provar em 11 cidades europeias as vantagens de uma solução de mobilidade elétrica, sustentável e flexível”, explica Frederico Venâncio, diretor-geral da VOI para Portugal e Espanha. “Faro é a segunda cidade portuguesa em que operamos e a 12ª a nível global, o que demonstra não apenas o compromisso da cidade para com a sustentabilidade ambiental mas também a importância dos veículos elétricos para uma mudança positiva”, explica o responsável.

Em concordância com o conhecimento do terreno do executivo camarário, a VOI irá disponibilizar trotinetes elétricas em vários pontos da cidade, estratégicos pela complementaridade que oferecerão à rede pública de transportes e pela conveniência em locais de grande afluência. “O apoio da Câmara Municipal de Faro foi fundamental para que assegurar que as VOIs são colocadas nos locais onde são mais necessárias”, afirma Frederico Venâncio. “Esta colaboração resulta na oferta de uma mobilidade mais eficiente não apenas para os residentes mas também para os estudantes da Universidade do Algarve e para os milhares de turistas que a cidade recebe todos os anos”.

O presidente da Câmara Municipal de Faro mostrou grande entusiasmo “por podermos assistir em Faro ao lançamento da Mobilidade Partilhada”. Para Rogério Bacalhau, há a “expectativa de que estes novos projetos de mobilidade partilhada venham a representar um primeiro passo no sentido do desenvolvimento sustentado do concelho”.