Um único plano de operações distrital de combate aos incêndios apresentado publicamente dentro do prazo

Um único plano de operações distrital de combate aos incêndios apresentado publicamente dentro do prazo

Categoria Ambiente, Florestas

A diretiva que define o Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais indica que os planos operacionais distritais deveriam ser publicamente apresentados até hoje, o que aconteceu apenas em Leiria, não havendo uma data anunciada na maioria dos distritos.

Contudo, em Beja, o plano de operações distrital vai ser apresentado na terça-feira, às 10h30, no edifício do antigo Governo Civil, e na Guarda prevê-se a apresentação ainda esta semana. Já o de Évora vai ser conhecido no dia 23, sendo “muito idêntico ao do ano passado, sem grandes variações de meios”, disse hoje à Lusa o Comandante Distrital de Operações de Socorro, José Ribeiro.

Segundo a Diretiva Operacional Nacional, que estabelece o dispositivo de combate deste ano, “até 14 de maio deve realizar-se em cada distrito uma sessão pública de apresentação do plano operacional distrital”, da responsabilidade do respetivo comandante, e “nestas sessões serão convidadas todas as entidades que concorrem para a defesa da floresta contra incêndios e os órgãos de comunicação social”.

Em Leiria, a apresentação oficial do dispositivo previsto para este ano decorreu no passado dia 11, tendo o comandante distrital, Carlos Guerra, anunciado que haverá videovigilância, mais elementos e mais um meio aéreo.

De acordo com as fontes da Proteção Civil contactadas pela Lusa nos diferentes comandos, para a semana deve ser conhecido o dispositivo do distrito de Castelo Branco e o de Viseu será apresentado em breve.

O Plano Operacional de Portalegre vai ser divulgado no final deste mês, numa data ainda por definir, referiu o comandante Rui Conchinha, acrescentando que este ano haverá menos recursos humanos, devido à “instabilidade de alguns corpos de bombeiros” que estão “mais enfraquecidos”. Rui Conchinha escusou-se a avançar dados sobre os restantes meios, alegando que o plano aguarda “homologação” de entidades superiores.

Já em Aveiro, segundo o comando distrital, quando o dispositivo for apresentado não será público. No caso de Viana do Castelo, não ocorreu uma apresentação pública, mas em 10 de maio, após a primeira reunião de trabalho da nova Comissão Distrital de Proteção Civil, o presidente desta estrutura, Miguel Alves (autarca de Caminha), anunciou aos jornalistas “um reforço de operacionais vindos de Lisboa” para dar resposta ao reduzido número de efetivos e adiantou que “a região vai passar de cinco para 12 equipas de intervenção permanente”.

Também em Bragança, Vila Real, Faro, Santarém, Lisboa, Coimbra, Porto, Setúbal e Braga não foram divulgadas datas para apresentação dos planos distritais.

O combate aos incêndios deverá ter o primeiro reforço de meios a partir de terça-feira, com a entrada em vigor do agora denominado “nível II”, mas o dispositivo que estará no terreno ainda não foi divulgado.

A Diretiva Operacional Nacional indica que, entre 15 e 31 de maio, os meios vão ser reforçados, integrando neste período até 6.290 elementos e até 1.473 veículos dos vários agentes presentes no terreno.