Valorfito retoma mais de metade das embalagens em 2018

Valorfito retoma mais de metade das embalagens em 2018

Foi na passada sexta-feira, 29 de março, em Coimbra que doze empresas portuguesas viram o seu trabalho distinguido na 7ª Edição dos Prémios Valorfito. A sustentabilidade do setor agrícola português esteve em destaque neste sétimo encontro anual  que visa reconhecer e mobilizar o setor agrícola e convidar todos os parceiros para o debate e reflexão sobre o estado da atividade. “Os números de 2018 trazem não só novidades no que respeita ao crescimento das taxas de recolha, mas também importantes desafios de crescimento nacional, demonstrando a força de um setor cada vez mais preocupado com o caminho para a eficiência e sustentabilidade na agricultura”, refere a Valorfito em comunicado.

O local escolhido para a cerimónia foi o Convento S. Francisco, em Coimbra, onde o setor agrícola esteve reunido para recordar boas práticas, contabilizar resultados, estabelecer metas e propor novos desafios, ao mesmo tempo que premiou aqueles que mais se destacaram durante o ano 2018.

O balanço foi positivo no que respeita às práticas nacionais, registando-se uma taxa de retoma de mais de metade das embalagens dos produtos fitofarmacêuticos distribuídos no nosso país – 52% – com uma subida expressiva da quantidade de resíduos recolhidos (perto de 4 toneladas), face a 2017. Beja foi o distrito que liderou em 2018, com uma taxa de recolha de 111,1%, uma percentagem ascendente comparativamente a anos anteriores. Além disso, destaque ainda para as quantidades declaradas, que cresceram 5,6% contrariando as previsões. A quantidade de embalagens recolhidas subiu 7,7%. Os principais desafios continuam a ser as taxas de recolha de biocidas e sementes para uso profissional, facto que começa a ser colmatado com a implementação de novos pontos de retoma a nível nacional.

À semelhança de anos anteriores, os prémios deste ano gratificaram o empenho dos Pontos de Retoma nacionais para três categorias principais: o prémio Crescimento, de âmbito regional, atribuído a 8 parceiros e que distingue o maior crescimento na região face ao ano anterior; o prémio Cooperativa, que releva o maior crescimento nacional em 2018 para o setor cooperativo; e, com grande destaque, o prémio Excelência, o galardão mais desejado da noite, e que distingue o TOP 3 das boas práticas para critérios tanto quantitativos quanto qualitativos. Especial atenção para a edição deste ano onde todos os nomeados são distinguidos com Menção Honrosa pelo trabalho desenvolvido em prol do setor ao longo do ano.

Para o diretor-geral da Valorfito, António Lopes Dias “este é o momento de agradecer aos nossos parceiros por renovarem todos os anos o seu compromisso connosco e por fazerem, todos os dias, o possível e o impossível, para que Portugal seja entendido como um país-modelo para o tema da sustentabilidade. Espelho disso são os resultados crescentes e positivos que registámos em 2018 e que nos permitem traçar novos caminhos e estabelecer novas e desafiantes metas”.

Seguiu-se a entrega dos prémios, relevando quem mais se destacou entre as dezenas de pontos de retoma nomeados. No total foram doze os premiados sendo que todos os restantes nomeados foram distinguidos com um diploma de honra pelo seu compromisso com as boas práticas na atividade agrícola.

Dos mais de mil Pontos de Retoma Valorfito no Continente e nas Regiões Autónomas, destacam-se os três vencedores do prémio Excelência: a empresa Amândio Machado, Lda; Fitomoz, S.A e Louricoop. com o 1º, 2º e 3º lugar respetivamente.