ZERO alerta que “se não agirmos agora, a extinção pode ser o legado mais duradouro da humanidade”

ZERO alerta que “se não agirmos agora, a extinção pode ser o legado mais duradouro da humanidade”

O Dia da Terra, que se celebra hoje, dia 22 de abril, procura chamar a atenção para a necessidade da Humanidade viver em harmonia com o Planeta, que nos oferece recursos que “temos estado a desperdiçar e desrespeitar”, alerta a associação Zero.

Um exemplo claro é o de no presente necessitarmos de cerca de 1,5 planetas para suportar o nosso modelo de produção e consumo, isto quando apenas uma parte da Humanidade faz uso dos recursos naturais. Este ano o mote do Dia da Terra é o da necessidade de protegermos as nossas espécies.

A destruição global sem precedentes e a rápida redução das populações de plantas e animais selvagens estão diretamente ligadas a causas impulsionadas pela atividade humana: alterações climáticas, desmatamento, perda de habitat, tráfico e caça furtiva, agricultura insustentável, poluição e pesticidas, para citar alguns. Os impactos são de grande alcance.

Alguns números sobre a atual onda de extinção:

  • O número de animais que vivem na terra caiu 40% desde 1970
  • As populações de animais marinhos também caíram 40% no total
  • 40% das 11000 espécies de aves do mundo estão em declínio
  • As populações animais nos ecossistemas de água doce reduziram-se 75% desde 1970
  • As populações de insetos diminuíram em 75% em alguns lugares do mundo
  • Cerca de um quarto dos recifes de coral do mundo já sofreram danos irreversíveis e 75% dos recifes de corais do mundo estão em risco de stress às escalas local e global
  • Estima-se que os seres humanos tenham impactado 83% da superfície terrestre, o que muitos afetou os ecossistemas, bem como as áreas em que espécies específicas de animais selvagens existiam.

A boa notícia é que a taxa de extinção ainda pode ser reduzida, e muitas de nossas espécies em declínio, ameaçadas e em perigo ainda podem se recuperar se trabalharmos de construção de um movimento global de consumidores, eleitores, educadores, líderes religiosos e cientistas que exijam ação imediata.

Todos os seres vivos têm um valor intrínseco e cada um desempenha um papel único na complexa teia da vida. Devemos trabalhar juntos para proteger espécies ameaçadas e ameaçadas de extinção: abelhas, recifes de corais, elefantes, girafas, insetos, baleias e muito mais.