Dourogás e Águas do Tejo Atlântico assinam protocolo para produção de biometano a partir de lama de ETAR

Dourogás e Águas do Tejo Atlântico assinam protocolo para produção de biometano a partir de lama de ETAR

Categoria Advisor, Empresas

O Grupo Dourogás e a Águas do Tejo Atlântico assinaram esta quarta-feira um protocolo de colaboração que visa criar condições para o desenvolvimento dos Projetos de Inovação Hidrogasmove e Solargasmove na Fábrica de Água de Frielas, numa perspetiva de sustentabilidade e de criação de valor ambiental e económico, lê-se num comunicado.

Tal como explicam as empresas, o Higrogasmove e o Solargasmove são projetos de demonstração tecnológica de conceito, com tecnologia pioneira em Portugal desenvolvida pela empresa Sysadvance, sediada na Póvoa de Varzim, e que permitirá produzir biometano – “gás 100% renovável” – que será, posteriormente, utilizado como “combustível veicular”, num processo alinhado com o conceito de economia circular, “transformando resíduos em recursos energéticos”, produzindo uma “energia limpa”.

A Dourogás e Águas do Tejo Atlântico avançam para esta parceria com a ambição de “descarbonizar a economia”, produzindo um “combustível renovável com benefícios económicos e ambientais evidentes para uma mobilidade mais sustentável”, através da “utilização de biocombustíveis avançados nos transportes”, que permitirão “reduzir a emissão de gases com efeito de estufa (GEE) e aumentar a qualidade do ar”, referem as empresas.

“Estamos comprometidos com a descarbonização da economia nacional e esta parceria permite- nos dar mais um passo nesse sentido, promovendo a utilização plena dos recursos com vista a uma economia verdadeiramente circular”, declara Nuno Moreira, presidente Executivo do Grupo Dourogás, acrescentando que “a inovação que desenvolvemos na Dourogás tem um objetivo: assegurar alternativas sustentáveis para a mobilidade do futuro, centrada nos gases renováveis e no Hidrogénio, que promovam ganhos ambientais significativos e que, ao mesmo tempo, gerem valor económico para as empresas e para o país. É nossa convicção que os gases renováveis, nomeadamente o biometano, têm um papel determinante a desempenhar na transição energética e estamos comprometidos, como empresa líder neste setor que somos, a produzir soluções que respondam a este desígnio.”

Por seu turno, Ana Sofia Silveira, presidente do Conselho de Administração da Águas do Tejo Atlântico, destaca que “a empresa abraça esta parceria com muita satisfação e como exemplo da prioridade que damos à qualidade do serviço que prestamos nos 23 Municípios em que estamos presentes e que serve cerca de 2,4 milhões de pessoas”. De acordo com a responsável, “a inovação, competência, eficiência, sustentabilidade e criação de valor em todos os processos que desenvolvemos, são compromissos que assumimos voluntariamente como parte da nossa missão. Faz parte do nosso trabalho diário, desenvolver e promover soluções mais eficientes – nomeadamente ao nível do aproveitamento do biogás, que pode ser utilizado na produção de energia verde – que promovam a circularidade e a sustentabilidade dos recursos com vista ao cumprimento dos objetivos da transição energética para uma economia neutra em carbono”.

Este é um projeto de inovação que, além dos indicadores da produção de biometano, investigará também indicadores de eficiência e da redução de emissões de gases com efeito de estufa e da redução da dependência de combustíveis fosseis, com a produção deste biocombustível.

Os projetos Hidrogasmove e Solargasmove inserem-se no domínio da investigação e inovação do Grupo Dourogás que, em Mirandela, tem em curso um projeto pioneiro e único em Portugal, que passa pela produção de biometano a partir de resíduos orgânicos.