Matosinhos procura projetos centrados na economia do mar

Matosinhos procura projetos centrados na economia do mar

Categoria Advisor, Empresas

Até ao dia 9 de fevereiro, o Município de Matosinhos está à procura de projetos empresariais que se encontrem em fase de ideia de negócio e empresas já legalmente constituídas, com menos de quatro anos, que possuam impacto significativo na economia do mar. Em comunicado enviado à imprensa, a Câmara Municipal de Matosinhos refere que as ideias poderão ser submetidas no âmbito do concurso BluAct – projeto apresentado oficialmente esta segunda-feira, no UPTEC Mar, em Leça da Palmeira, que envolve sete cidades europeias e que tem como objetivo central estimular a economia azul de forma sustentável. Matosinhos é a cidade que representa Portugal no projeto, que envolve, ainda, Piraeus (Grécia), Burgas (Bulgária), Mataro (Espanha), Ostend (Bélgica), Galati (Roménia) e Salerno (Itália).

Após a fase de apresentação de candidaturas, serão selecionadas as 10 melhores ideias. O processo terminará a 2 de março, com o anúncio dos três melhores projetos. O prémio final consiste na realização de um programa de aceleração e incubação, durante um ano, no UPTEC Mar, em Leça da Palmeira. Existe, ainda, um prémio extra patrocinado pelo Super Bock Group, no valor máximo de 5 mil euros, para os projetos empresariais vocacionados para a sustentabilidade e economia circular. É importante relembrar que as inscrições estão, ainda, abertas, podendo ser efetuadas através do preenchimento de um formulário online, onde também é disponibilizado o regulamento do concurso. Os projetos a concurso poderão inserir-se nas mais diversas áreas ou setores (turismo, indústria, investigação, formação, desporto, moda, entre outras), tendo de obedecer apenas a um critério: possuir impacto significativo na economia do mar.

Economia do mar: Cruzar tradição e inovação para crescer

Para Luísa Salgueiro, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, entidade responsável pela promoção do concurso, “a dinamização da economia do mar é, sem dúvida, uma aposta estratégica do município”. Para a autarca, “o mar posiciona-se, hoje, como um recurso que tem captado a atenção dos centros de investigação e empresas inovadoras e, por essa razão, temos apostado em preservar o carácter tradicional do setor, abrindo-o, contudo, à inovação”. “É exatamente este um dos grandes objetivos do BluAct”, conclui.

Matosinhos prepara-se para receber, agora, de 27 a 29 de janeiro, o encontro que irá reunir todas as cidades envolvidas no projeto que é financiado pelo URBACT III – programa da União Europeia que ajuda as cidades a desenvolver soluções sustentáveis nestas áreas. Refira-se que, com a participação e experiência de cada uma das cidades europeias, tem sido possível dinamizar boas práticas e partilhar experiências que influenciam o processo de desenvolvimento sustentável no contexto das cidades portuárias.

Foto creditada pelo site da Câmara Municipal de Matosinhos