Air Liquide inaugura maior unidade do mundo de produção de hidrogénio descarbonizado por eletrólise de membrana no Canadá

Air Liquide inaugura maior unidade do mundo de produção de hidrogénio descarbonizado por eletrólise de membrana no Canadá

Categoria Advisor, Empresas

A Air Liquide finalizou a construção do maior eletrolisador PEM (sigla inglesa de Membrana Permutadora de Protões) do mundo. Alimentada por energia renovável, esta unidade produz a partir de agora até 8,2 toneladas por dia de hidrogénio com baixo teor de carbono em Bécancour, no Canadá, anuncia a empresa.

Com uma capacidade de 20 MW, este novo eletrolisador PEM dotado de tecnologia da Cummins1 é a maior fábrica deste tipo a operar atualmente em todo o mundo, e vai permitir responder à crescente procura de hidrogénio com baixo teor de carbono na América do Norte, lê-se no comunicado do grupo.

De acordo com a Air Liquide, a proximidade de Bécancour aos principais mercados industriais do Canadá e dos Estados Unidos vai contribuir para assegurar o abastecimento de hidrogénio com baixo teor de carbono para fins industriais e para a mobilidade. A entrada ao serviço desta unidade de eletrólise aumenta em 50% a capacidade de produção de hidrogénio da Air Liquide na fábrica de Bécancour.

Em comparação com um processo de produção de hidrogénio tradicional, esta nova unidade de produção vai permitir evitar a emissão de cerca de 27 000 toneladas por ano de CO2, ou seja, as emissões anuais aproximadas de 10 mil viaturas. A escolha de Bécancour está ligada a duas características da fábrica: por um lado o acesso a uma energia renovável abundante fornecida pela Hydro-Québec, e por outro lado, a proximidade ao mercado da mobilidade do hidrogénio no nordeste do continente, refere o comunicado.

Susan Ellerbusch, diretora geral da Air Liquide América do Norte e membro da Comissão Executiva, destaca que “a  luta contra as alterações climáticas está na essência da estratégia do Grupo Air Liquide e a inauguração desta fábrica marca uma etapa importante na execução desta estratégia”. Com esta estreia mundial, a Air Liquide “confirma o empenho na produção de hidrogénio com baixo teor de carbono à escala industrial e a capacidade de implementar desde já soluções tecnológicas relevantes. O hidrogénio irá desempenhar um papel decisivo na transição energética e na emergência de uma sociedade de baixo teor de carbono”, refere.