APDA organiza colóquio sobre o valor da água

APDA organiza colóquio sobre o valor da água

Categoria Advisor, Agenda

A Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA), contando com a colaboração do Município de Castelo Branco, organiza no próximo dia 20 de novembro de 2018, no auditório do Centro de Empresas Inovadoras de Castelo Branco, o Colóquio “O Valor da Água”, no qual será apresentada a 8ª edição do estudo “Água e Saneamento em Portugal – O Mercado e os Preços 2018”, elaborado pela Comissão Especializada de Legislação e Economia da APDA.

Este trabalho, atualizado com tarifas referentes a 31 de dezembro de 2017, visa contribuir para um melhor conhecimento da evolução do Setor da Água no nosso país, nomeadamente a caracterização das entidades gestoras, a tipificação dos tarifários e a recolha e tratamento dos preços da água e saneamento em Portugal. A edição abrange, designadamente, capítulos específicos sobre a evolução da qualidade do abastecimento de água em baixa, os resultados de um inquérito a entidades gestoras sobre as suas perspetivas económicas e de gestão no contexto nacional, uma análise comparada do mercado e dos preços no âmbito internacional e uma perspetiva das principais questões com que se defronta atualmente o setor da Água.

Para além da apresentação do estudo, que desde a primeira edição conta com o relevante apoio da ERSAR, a APDA incluiu este ano no programa uma mesa redonda subordinada ao tema “O Valor da Água como Fator de Desenvolvimento”, tema da mais premente atualidade que a APDA coloca em debate na sociedade portuguesa, dada a necessidade sentida de olhar para este “recurso escasso” de forma alargada, e não somente como uma simples “utility”. A intenção é analisar a relevância dos recursos hídricos e do setor para o desenvolvimento de Portugal, bem como os anteriores fundamentais contributos dos Serviços da Água para o crescimento da qualidade de vida da população e a evolução económica e social do País.

Será dado um particular enfoque ao valor da água no Interior, no que toca ao aproveitamento das suas  potencialidades para o desenvolvimento, tendo em conta as necessidades que se vêm sentindo de forma mais premente.