Associação da Hotelaria de Portugal assume compromisso com a Aliança ODS Portugal

Associação da Hotelaria de Portugal assume compromisso com a Aliança ODS Portugal

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal atribuiu Selos de Responsabilidade Social (We Share) e de Sustentabilidade Ambiental (We Care), através Programa HOSPES “Sharing is Caring“, aos hoteleiros portugueses e assumiu um compromisso com a Aliança ODS Portugal — no âmbito da UN Global Compact Network Portugal — tendo em vista o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Em 2018 o Programa HOSPES, através de 58 hotéis e 50 IPSS, alcançou 45% do total de doações a instituições sociais dos seis anos de iniciativa, evitou 15.240 toneladas de desperdício, poupou 131 228 00 litros de água e duplicou de modo geral o tempo de vida útil dos bens utilizados no setor. O que resulta numa poupança total na ordem dos 400 mil euros.

Margarida Couto, presidente do Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial (GRACE), admite que o turismo “é um setor incontornável para a sustentabilidade” e garante que os investidores procuram, cada vez mais, investir em empresas que incorporam melhores práticas sociais e ambientais. A responsável conta a história de Larry Fink, CEO da BlackRock — maior fundo de investimentos do Mundo e que, inclusivamente, investe em diversas empresas em Portugal — que todos os anos redige uma carta aos CEO’s das empresas em que investe a revelar-lhes os critérios que a BlackRock utiliza para decidir os seus investimentos.

O certo é que em 2018 a carta tinha como título “Assumps of Purpose” e referia que “se as empresas não começarem a incorporar nos seus KPI’s [Key Performance Indicator] um ‘propósito’ vão pura e simplesmente deixar de ser sustentáveis e deixar de existir”. A carta deste ano intitula-se “Purpose and Profit” e, segundo Margarida Couro, torna tudo ainda mais claro: “As empresas que não incorporarem na sua estratégia, de forma alinhada com os seus negócios, fatores relacionados com o ambiente, o impacto social (direitos humanos) e a governance – assistimos a empresas que tinham práticas de sustentabilidade fantásticas mas depois falhou tudo porque falhou a governance – não vão estar cá no futuro.” A BlackRock não irá investir.

Rita Inácio