Associações preocupadas com menor vigilância nas áreas protegidas

Categoria Home

O presidente da Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza, Francisco Correia, mostrou-se hoje muito preocupado com a possível redução de equipas e elementos de vigilância e primeira intervenção em incêndios nas áreas protegidas. O alerta foi dado pelo Jornal de Notícias que noticiou que  "o Instituto de Conservação da Natureza e Floresta (ICNF) tem menos 32 equipas e menos 163 elementos de vigilância de primeira intervenção em incêndios nas áreas protegidas". Segundo o diário, estes números resultam "da comparação dos dados sobre os meios do ICNF associados às áreas protegidas constantes nos dispositivos especiais de combate aos incêndios florestais deste ano e dos anos anteriores".