Audax Renovables e Trina Solar assinam um dos maiores contratos a nível mundial de energia fotovoltaica

Audax Renovables e Trina Solar assinam um dos maiores contratos a nível mundial de energia fotovoltaica

Categoria Advisor, Empresas

A Audax Renováveis acaba de anunciar à imprensa a assinatura de um dos maiores contratos a nível mundial para a compra de energia “PPA” (Power Purchase Agreements em inglês) com a empresa chinesa de tecnologia solar, Trina Solar. Estas instalações fotovoltaicas terão capacidade de até 300 MWp, o que faz deste PPA “um dos maiores contratos deste tipo em todo o mundo, superando assinado em fevereiro passado com o Grupo Welink, que posiciona Espanha e Portugal como os países europeus com maior volume de energia renovável comercializada através deste tipo de contrato”, lê-se no comunicado.

A Audax Renováveis irá adquirir, durante 20 anos, a energia elétrica produzida pelas instalações fotovoltaicas que a Trina Solar vai desenvolver no Mercado de eletricidade espanhol. Graças a este contrato e de acordo com as condições do mercado, isso poderia implicar investimentos de mais de 200 milhões de euros, promovendo a criação de emprego e a proteção do ambiente, sem a necessidade de subsídios ou leilões.

Os contratos de PPA deste acordo-quadro têm início com a entrada em operações de cada uma das múltiplas instalações fotovoltaicas, cujo arranque está previsto para final deste ano e início de 2020. A localização destes foi escolhida tendo em conta as regiões de elevada radiação solar de Castilla La Mancha, Levante e Andaluzia e pretende gerar energia suficiente para abastecer mais de 200.000 casas com energia 100% renovável.

Os investimentos vão estimular a atividade económica nestas áreas e favorecer a criação de emprego. Para além disso, como estes investimentos são garantidos por um PPA privado, em vez de subsídios ou leilões públicos, não vão implicar nenhum custo extra para o consumidor, que no passado se repercutiram nos prémios e subsídios das renováveis

De acordo com José Elías, CEO e fundador do grupo Audax, “sempre que um PPA é assinado é muito boa notícia para a sociedade e para o cliente final”. Isto porque, segundo José Elías, “quando a energia renovável entra no mercado de eletricidade, baixam os preços, cria-se emprego e reduzem-se as emissões de gases com efeito de estufa Tudo isso sem que haja qualquer custo futuro para o consumidor na fatura da luz, uma vez não há prémios ou subsídios públicos, já que se trata de um contrato-quadro privado”.

Estes contratos ajudarão a melhorar o preço de compra da energia Audax Renováveis e a consolidar a posição de liderança do Grupo Audax.

Este acordo PPA é enquadrado dentro dos objetivos estratégicos de aprovisionamento de energia de longo prazo da Audax Renováveis para o fornecimento dos seus clientes em Espanha, que pode ser abastecida com energia de origem 100% renovável e totalmente isenta de emissões de gases com efeito de estufa, contribuindo assim para a conservação do meio ambiente.

A estratégia do Grupo centrou-se nos últimos anos em três pilares fundamentais: um maior posicionamento no mercado, através de um crescimento orgânico e inorgânico, um forte processo de internacionalização, e a manutenção e otimização de instalações de geração de energia de fontes 100% renováveis. A empresa entrou em Portugal em 2013 e ocupa a 6ª posição no mercado elétrico português.

O Grupo Audax Renováveis está em pleno crescimento, tendo fornecido energia, em 2018, para mais de 300.000 clientes, com um volume de 10,1 TWh, o que representa um aumento de 27,5% em relação ao ano anterior. Para além de crescer em volume de negócios, o Grupo Audax Renováveis aumentou o seu lucro operacional (EBIDTA) em 44% em relação ao exercício anterior. O objetivo da Audax Renováveis é continuar a apostar na energia renovável e fechar novos projetos e acordos PPAs, que lhe dará uma posição vantajosa no mercado de energia mundial. Em março de 2018, a Audax assinou um PPA com a Cox Energy, contrato que significou um marco histórico no mercado global de energia ao tornar-se o maior acordo assinado para a compra de energia produzida com tecnologia solar fotovoltaica até à data.