Britânicos criam reserva marinha do tamanho do Reino Unido no Atlântico

Britânicos criam reserva marinha do tamanho do Reino Unido no Atlântico

Mais da metade das águas em torno da ilha britânica de Ascensão, que fica no Atlântico a meio-caminho entre Pernambuco e Angola, são agora uma reserva marinha. Uma área de 234 mil km² – quase o tamanho do Reino Unido – será destinada agora à preservação ambiental.

52,6% das águas na zona económica exclusiva britânica em torno da ilha serão fechadas para pesca e monitorizadas por barcos de patrulha. Os outros 47,4% serão explorados por biólogos e oceanógrafos para que, até 2017, os limites precisos da reserva sejam demarcados com precisão.

A criação da reserva foi anunciada após uma negociação de dois anos entre o Governo britânico, o governo local de Ascensão e a Blue Marine Foundation, um fundo ambiental criado em 2010. A monitorização da nova reserva será inicialmente financiada por 300.000 libras (cerca de 402 mil euros) doados pela Fundação Bacon, durante um ano e meio.

Segundo um comunicado da Blue Marine, a ideia é que a maior parte da parte sul das águas de Ascenção seja destinada à conservação, e as águas mais próximas da ilha também, num raio de 50 milhas náuticas. A zona económica exclusiva britânica compreende um raio de 200 milhas náuticas (370 km).

A região central do Atlântico Sul, em torno de Ascensão, é uma importante zona de conservação para espécies de tubarão com populações em declínio. Stocks de atum, um peixe ameaçado de extinção pela sobrepesca, também habitam na região.

Segundo o governo britânico, com a demarcação final da reserva, pelo menos metade das águas de Ascensão devem ficar totalmente fechadas para atividades económicas, enquanto o restante deve ser liberado, mas policiado para prevenir pesca de espécies ameaçadas.