Distribuição com bicicletas elétricas é já uma realidade na Dachser

Distribuição com bicicletas elétricas é já uma realidade na Dachser

Categoria Advisor, Empresas

No âmbito do projeto “City Distributition”, que procura encontrar alternativas mais sustentáveis para o transporte de mercadoria “na última milha”, a Dachser tem vindo a testar a utilização de bicicletas elétricas em alguns centros urbanos. Depois de ter já implementado esta solução, de forma permanente, em várias cidades europeias, a operadora logística iniciou, em 2019, a fase de testes que visa a introdução de bicicletas de carga totalmente elétricas na rede ibérica.

O centro urbano de San Sebastián (País Basco, Espanha) foi o local escolhido para receber o projeto-piloto, que acabou por ser implementado naquela cidade, de forma permanente, há mais de um ano, refere a empresa.

Para esta operação, a Dachser utiliza um modelo de bicicleta que conta com uma caixa de dois metros de altura, alocada na parte traseira e que permite transportar até 250 quilos de mercadoria. Rápida e “amigo do ambiente”, esta alternativa de transporte possui a vantagem de “evitar obstáculos que tornam o processo de entrega mais demorado”. E além de contornarem engarrafamentos e outras complicações provocadas pelo trânsito, “as bicicletas elétricas têm a mais valia de não possuírem qualquer restrição no acesso a determinadas zonas nos centros urbanos, como as áreas pedonais ou as ruas em que é proibida a passagem de camiões”, lê-se no comunicado.

José Miguel Herrera, general manager North Iberia da Dachser, explica que é objetivo da empresa ter uma “distribuição sustentável e eficiente” pelo que “trabalhamos na melhor estratégia para incorporar esta alternativa de transporte nas nossas operações”. Mais de um ano após o lançamento da fase de testes em San Sebastián e tendo obtido resultados bastante positivos, “podemos dizer que, com este novo meio de transporte, prestamos um serviço muito mais rápido e com emissões zero para a atmosfera, pelo menos no que diz respeito ao transporte na última milha”, acrescenta .

Dachser realiza, em média, 600 entregas por mês com bicicletas

Para incorporar as bicicletas elétricas na sua rede, a Dachser desenhou um circuito em que, diariamente, as encomendas são transportadas, por camião, desde o armazém de Zubieta, a 12 quilómetros de San Sebastián, até ao micro-hub da empresa localizado no centro da cidade. A partir daí, as bicicletas elétricas procedem à distribuição da mercadoria “na última milha”. Em termos comparativos, entre junho e dezembro de 2020, realizaram-se, em média, 600 entregas por mês, em todo o centro histórico da cidade, o que representa uma carga mensal de aproximadamente 20 toneladas. Estes valores mostram um crescimento de 92% no que se refere às entregas e de 85% ao nível de toneladas transportadas, comparativamente ao período homólogo em 2019, refere a empresa.

“O centro histórico da cidade de San Sebastián era, até agora, uma área desafiante para a distribuição de mercadorias, sobretudo devido às características peculiares de acesso e tráfego”, refere José Miguel Herrera. Esta cidade do norte de Espanha é reconhecida pelas iniciativas em matéria de sustentabilidade e, como tal, tem adotado cada vez mais restrições, tanto no que se refere ao horário de circulação como à carga transportada, no caso concreto de veículos com motor a combustão. Determinadas zonas da parte antiga daquela cidade são totalmente pedonais e todos os veículos motorizados têm acesso restrito. Tendo em conta que estas são medidas cada vez mais adotadas nos centros das cidades europeias, a introdução das bicicletas de carga comprova, uma vez mais, que a Dachser possui mecanismos que lhe permite fornecer soluções eficazes e eficientes, antecipando as necessidades dos seus clientes e dando resposta à filosofia de cuidado e respeito pelo meio ambiente.

“Esta medida tem sido um grande sucesso e temos recebido comentários muito positivos dos nossos clientes”, indica José Miguel Herrera, destacando que “a longo prazo, o objetivo será colocar em circulação mais bicicletas elétricas para entrega de mercadorias e começar, também, a recorrer a camiões elétricos”. Desta forma, “conseguiremos aumentar o nosso compromisso em estabelecer, no futuro, zonas de entregas livre de emissões” diz o responsável, reconhecendo, contudo, que “não podemos usar a bicicleta para todas as entregas, mas a combinação de vários tipos de veículos é, para nós, uma iniciativa eficaz e benéfica para o meio ambiente”.