EAD reforça serviço de reciclagem com instalação de máquina de destruição de papel nos Açores

EAD reforça serviço de reciclagem com instalação de máquina de destruição de papel nos Açores

Categoria Advisor, Empresas

A EAD (Empresa de Arquivo de Documentação) reforçou recentemente a sua operação de reciclagem segura de arquivo e documentação, no centro de operações de S. Miguel, nos Açores, através da instalação de uma máquina de destruição segura e confidencial de papel.

Com este investimento, o serviço agora disponibilizado, acresce o total controlo do processo operacional pela EAD, desde a recolha da documentação no cliente até ao encaminhamento para destino final de reciclagem, mas já sob a forma de resíduo triturado, garantido ainda maior fiabilidade e segurança no processo de destruição da documentação, explica a empresa, num comunicado.

A premência da disponibilização, às organizações, do serviço de reciclagem no arquipélago surge como uma “extensão ou complemento do serviço de consultoria” uma vez que “identifica a documentação a ficar em custódia e a que está apta para eliminação”. Findo os prazos de conservação, “os documentos, aptos para eliminar, são transportados, em contentores próprios designados por DocBox (com ranhura adequada para colocar papel e fechadura), para o centro de operações da EAD na região e eliminados de forma segura e confidencial”, lê-se no mesmo comunicado.

“Com este investimento e novo serviço, reforçamos o leque de soluções oferecidas aos nossos clientes na região, demonstrando também assim a confiança que temos no mercado regional. Esta iniciativa da EAD visa também contribuir para diminuir a pegada ecológica, promovendo uma economia que se deseja cada vez mais circular e sustentável”, refere Paulo Veiga, CEO da EAD.

O processo de reciclagem da empresa cumpre a legislação em vigor com o nível de segurança 4 da norma DIN 6639, processo que se encontra de acordo com as atuais regras relativas ao RGPD, diminuindo ainda a pegada ecológica.

A EAD lembra que realizou, no passado mês de julho, outro investimento no centro de operações de São Miguel da empresa ao adquirir e instalar um scanner para a digitalização de grandes formatos adequado, entre outros, para digitalizar documentos técnicos, mapas ou desenhos, plantas, publicações ou jornais.

A empresa está presente nos Açores há 12 anos, conta com clientes em setores como a banca e a advocacia e possui dois centros de operações na região, um na Ribeira Grande e outro em São Miguel, com uma capacidade total de 40 mil caixas de arquivo.